“Criança não é mãe, estuprador não é pai”: campanha explode nas redes após juíza proibir aborto em menina de 11 anos

Juíza Joana Ribeiro Zimmer fez uma menina de 11 anos vítima de estupro a desistir de fazer um aborto legal

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução/Twitter @inst_marielle)


247 - “Criança não é mãe”: com essa chamada, internautas demonstraram sua indignação após a juíza Joana Ribeiro Zimmer fazer uma menina de 11 anos vítima de estupro desistir de fazer um aborto legal.

'Essa tristeza para a senhora e  sua filha é a felicidade de um casal', disse Joana Ribeiro Zimmer para a mãe da menina em vídeo. 

As reações nas redes foram imediatas: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O aborto em casos de estupro é legalizado no Brasil desde 1940. O caso da juíza em Santa Catarina que quer forçar uma criança de 11 anos que foi estuprada a levar a gestação adiante é ultrajante e fere a dignidade da vítima”, disse a ex-senadora Marina Silva. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 Lenio Streck também rechaçou o episódio: “Em SC, Juíza e Promotora massacram, psicologicamente, uma menina estuprada de 11 anos. Fui MP por 30 anos. Conheço o rengo sentado e o cego dormindo. Creiam: Fracassamos. É a  jus-tortura. ‘Mas tudo em nome da lei.’ Precisamos urgente falar sobre o PJ e o MP. Urgente. Urgente!”.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confira mais repercussões:

 

 

 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email