Crise entre EUA e Turquia chega ao Ceará

O Ceará é o sexto estado brasileiro que mais vende para a Turquia; o principal produto comercializado são placas de aço; no primeiro semestre deste ano, o país foi o segundo maior destino para as exportações cearenses, perdendo apenas para os norte-americanos; oscilação cambial da Turquia causada pela crise com os EUA já preocupa empresas

Crise entre EUA e Turquia chega ao Ceará
Crise entre EUA e Turquia chega ao Ceará
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 – Quem diria que a crise entre Turquia e Estados Unidos poderia atingir diretamente um estado distante do centro-sul do Brasil? Mas é isso mesmo. No primeiro semestre deste ano o Ceará segundo maior exportador, perdendo apenas para os norte-americanos.

O Estado é o sexto do Brasil que mais vende para a Turquia. O principal produto comercializado pelo Ceará são placas de aço que, até junho de 2018, foram responsáveis por US$ 116,3 milhões dos 116,7 faturados. O mercado tem alto crescimento desde 2017 com a inauguração oficial da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP).

 "Cerca de 10% de tudo o que o Ceará envia para o Exterior vai para a Turquia, seja através dos semifaturados de ferro ou aço, seja em produtos como calçados e a própria cera de carnaúba", explica Karina Frota, gerente do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec).

Uma oscilação expressiva cambial como a da Turquia faz com que as empresas que possuem relações comerciais com esse mercado fiquem mais cautelosas.

Leia reportagem do O Povo na íntegra aqui.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247