Crise se agrava e USP vai propor plano de demissão voluntária

Agravamento da crise financeira na Universidade de São Paulo (USP) levou a instituição a adotar um novo Plano de Incentivo de Demissão Voluntária (PDIV) e um Programa de Incentivo à Redução de Jornada (PIRJ), assunto será discutido na próxima semana em uma reunião com o Conselho Universitário; medidas fazem parte do esforço para reduzir o déficit da instituição, que deverá chegar a R$ 868 milhões neste exercício

Agravamento da crise financeira na Universidade de São Paulo (USP) levou a instituição a adotar um novo Plano de Incentivo de Demissão Voluntária (PDIV) e um Programa de Incentivo à Redução de Jornada (PIRJ), assunto será discutido na próxima semana em uma reunião com o Conselho Universitário; medidas fazem parte do esforço para reduzir o déficit da instituição, que deverá chegar a R$ 868 milhões neste exercício
Agravamento da crise financeira na Universidade de São Paulo (USP) levou a instituição a adotar um novo Plano de Incentivo de Demissão Voluntária (PDIV) e um Programa de Incentivo à Redução de Jornada (PIRJ), assunto será discutido na próxima semana em uma reunião com o Conselho Universitário; medidas fazem parte do esforço para reduzir o déficit da instituição, que deverá chegar a R$ 868 milhões neste exercício (Foto: Paulo Emílio)

247 - O agravamento da crise financeira na Universidade de São Paulo (USP) levou a instituição a adotar um novo Plano de Incentivo de Demissão Voluntária (PDIV) e um Programa de Incentivo à Redução de Jornada (PIRJ) voltado para os trabalhadores aos servidores técnico-administrativos da universidade. As propostas serão discutidas na próxima semana com o Conselho Universitário.

Segundo a reitoria, as medidas fazem parte do esforço para reduzir o déficit da instituição que deverá chegar a R$ 868 milhões neste exercício. Ainda segundo a USP, os cutos com pagamento de pessoal chegou a 105,7% dos recursos repassados pelo Governo do Estado.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247