De táxi é mais barato

Mesmo que o passageiro não valorize o tempo que fica preso no trânsito, opção é mais econômica ante gastos com carro próprio

De táxi é mais barato
De táxi é mais barato (Foto: Shutterstock)

Luciane Macedo _247 - No meio do congestionamento, com carro parado e taxímetro rodando, fica difícil não sentir uma "facada" no bolso quando se depende do táxi para chegar ao destino. É inevitável que se pense na liberdade e na economia que um carro na garagem poderiam proporcionar quando tudo parece conspirar para que você gaste mais porque precisa chegar mais rápido. Por outro lado, as vias são as mesmas para o carro e para o táxi. A conclusão a favor do carro próprio seria, portanto, apressada. Na ponta do lápis, segundo um estudo da e-flows, abrir mão de ter um carro é a melhor escolha para o bolso: de táxi, é sempre mais barato.

A empresa, que se dedica a prover soluções em mobilidade, elaborou um estudo com o objetivo de comparar os custos de transporte em grandes cidades brasileiras. O levantamento analisou o uso de táxi e automóveis próprios, com veículos de três portes diferentes: luxo (R$ 95 mil), médio (R$ 45 mil) e popular (R$ 25 mil).

Quem tem um carro de luxo deve usá-lo só para o lazer ou simplesmente abrir mão dele, sugere a e-flows, pois a economia é de R$ 10 mil por ano. A conta fica mais interessante se o dono do carro de luxo contabilizar R$ 50,00 para cada hora que fica parado no trânsito -- provavelmente estressado atrás do volante e pouco produtivo. O dinheiro que se deixa de gastar optando por ir de táxi, neste caso, chega a R$ 32 mil por ano.

Ainda segundo o estudo da e-flows, o táxi é mais econômico que um veículo de porte médio se o tempo no trânsito representar uma despesa superior a R$ 15,00 por hora. Já no caso de veículos populares, o táxi é melhor para o bolso se o tempo do passageiro no trânsito for mais barato que R$ 32 por hora.

Outra conclusão do estudo é que para quem roda menos de 87 km por semana, é sempre mais barato ir e voltar de táxi.

"Ainda há um tabu no qual as pessoas acreditam que o táxi não é considerado uma boa opção para uso contínuo, porém o estudo apontou que, independentemente de o carro ser de luxo, médio ou popular, o mais barato é utilizar o táxi, mesmo que o passageiro não valorize o tempo no trânsito", diz Nathan de Vasconcelos Ribeiro, diretor executivo da e-flows.

Ribeiro assinala que "as pessoas devem levar também em consideração as vantagens de se utilizar táxi, como: comodidade, não preocupação com o dia de rodízio e nem com a Lei Seca, além do risco zero de ser multado".

Para o educador financeiro Reinaldo Domingos, é preciso fazer um diagnóstico preciso das finanças antes de escolher, entre carro ou táxi, qual deles representa o melhor custo-benefício, caso a caso.

"O que você gasta com carro por mês não pode passar de 10% a 15% do valor da sua renda", orienta. "Um carro popular de R$ 20 mil pode custar mais de R$ 1.000,00 por mês com a manutenção e a prestação, e muita gente compra o carro porque a parcela cabe no bolso, mas vai descobrir depois que não pode arcar com essa despesa mensal, com o custo de ter esse carro na garagem".

Para Domingos, o táxi pode ser uma opção interessante, mas não necessariamente excludente. Ele sugere deixar o carro na garagem sempre que a ocasião favorece e combinar metrô e táxi, por exemplo, o que já ajuda a economizar em dinheiro de estacionamento.

"A questão da mobilidade urbana está cada vez mais complicada e vai complicar ainda mais com a facilidade de crédito e a problemática da infraestrutura, sem falar no boom imobiliário, porque cada prédio que sobe, são 150 carros na garagem", assinala o educador financeiro.

"No táxi, você pode trabalhar ou aproveitar o tempo no trânsito com mais conforto e menos stress que se estivesse dirigindo, e o táxi é mais seguro", comenta Domingos. "Vale lembrar que caminhar a pé pequenos trechos, além de bom para a saúde, também não pesa no bolso".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247