De volta ao Senado, Amorim critica JB: "agrediu, mentiu e ofendeu"

Em seu primeiro discurso no retorno ao Senado, nesta semana, Eduardo Amorim (PSC), candidato derrotado na disputa pelo governo de Sergipe, fez um balanço de sua campanha, criticou o governador reeleito Jackson Barreto (PMDB) e apontou falhas no setor de Segurança Pública do Estado; discurso do senador mostrou que ele ainda não digeriu o resultado do último pleito; Amorim retornou ao Senado 50 dias após a eleição

Em seu primeiro discurso no retorno ao Senado, nesta semana, Eduardo Amorim (PSC), candidato derrotado na disputa pelo governo de Sergipe, fez um balanço de sua campanha, criticou o governador reeleito Jackson Barreto (PMDB) e apontou falhas no setor de Segurança Pública do Estado; discurso do senador mostrou que ele ainda não digeriu o resultado do último pleito; Amorim retornou ao Senado 50 dias após a eleição
Em seu primeiro discurso no retorno ao Senado, nesta semana, Eduardo Amorim (PSC), candidato derrotado na disputa pelo governo de Sergipe, fez um balanço de sua campanha, criticou o governador reeleito Jackson Barreto (PMDB) e apontou falhas no setor de Segurança Pública do Estado; discurso do senador mostrou que ele ainda não digeriu o resultado do último pleito; Amorim retornou ao Senado 50 dias após a eleição (Foto: Valter Lima)

Valter Lima, do Sergipe 247 - Em seu primeiro discurso no retorno ao Senado, nesta semana, Eduardo Amorim (PSC), candidato derrotado na disputa pelo governo de Sergipe, fez um balanço de sua campanha, criticou o governador reeleito Jackson Barreto (PMDB), a quem acusou de ter mentido durante o período eleitoral, e apontou falhas no setor de Segurança Pública do Estado.

“Com renovado entusiasmo retorno a esta Casa após uma batalha, uma grande luta em prol de um sonho que não era apenas meu, mas compartilhado e fomentado por milhares de sergipanos que trabalham e buscam, dia após dia, um Sergipe melhor, mais digno, onde possamos voltar a nos sentir seguros, onde a saúde e a educação sejam, verdadeiramente, de qualidade e que voltem a ser, além de prioridade, uma realidade”, disse ele ao iniciar seu pronunciamento.

Amorim afirmou que “não abriu mão” de seus princípios e valores éticos durante a campanha. “Em nenhum momento prometi o que não poderia ser cumprido. Nunca fiz e nunca farei promessas falsas e vazias. A mim, nunca interessou ganhar uma eleição a qualquer custo. Tenho plena convicção de que aquele princípio maquiavélico, segundo o qual os fins justificam os meios, não se aplica e nunca se aplicou à minha conduta”, afirmou.

O senador do PSC disse ainda que JB utilizou-se de “velhos vícios, de velhas condutas e do seu estilo peculiar de fazer política”. “Agrediu, mentiu e ofendeu não só a minha honra, mas a honra de toda a minha família e de dezenas de amigos, como, por sinal, já o fez em outras ocasiões com vários outros políticos sergipanos. Lutamos uma luta desigual: de um lado, apresentamos propostas e ideias; do outro lado, o que víamos eram enxurradas de maledicências, grosserias e falsas promessas, como hoje assistimos e sofremos no nosso Estado”, criticou.

Referindo-se especificamente ao setor de segurança, o senador citou dados, que, segundo ele, mostram que a violência aumentou em Sergipe nos últimos anos. Segundo Amorim, o mapa da violência divulgado recentemente pelo Ministério da Justiça revela um dado ainda mais preocupante para Sergipe.

 

“A pesquisa do Fórum Brasileiro para a Segurança Pública mostra que, levando-se em conta a proporcionalidade, Sergipe ocupa a quarta colocação no ranking da violência no Brasil, com mais de 40 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. Em números absolutos, a pesquisa mostra que no ano de 2013 foram registrados 923 crimes letais intencionais, um número alarmante, muito acima do ano anterior, quando ocorreram 845 crimes dessa natureza”, afirmou.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247