Declaração de candidato revolta professores no RS

Líder nas pesquisas, José Ivo Sartori (PMDB) fez piada de mau gosto associando o piso salarial dos professores com uma loja de materiais de construção no estado, a Tumelero; "O piso! O piso eu vou lá no Tumelero e eles te dão um piso melhor, né? (risos). Ali tem piso bom, né?", afirmou; Sindicato da categoria soltou nota de repúdio, afirmando não admitir "que os trabalhadores em educação sejam tratados com falta de educação e respeito"; candidato pediu desculpas

Líder nas pesquisas, José Ivo Sartori (PMDB) fez piada de mau gosto associando o piso salarial dos professores com uma loja de materiais de construção no estado, a Tumelero; "O piso! O piso eu vou lá no Tumelero e eles te dão um piso melhor, né? (risos). Ali tem piso bom, né?", afirmou; Sindicato da categoria soltou nota de repúdio, afirmando não admitir "que os trabalhadores em educação sejam tratados com falta de educação e respeito"; candidato pediu desculpas
Líder nas pesquisas, José Ivo Sartori (PMDB) fez piada de mau gosto associando o piso salarial dos professores com uma loja de materiais de construção no estado, a Tumelero; "O piso! O piso eu vou lá no Tumelero e eles te dão um piso melhor, né? (risos). Ali tem piso bom, né?", afirmou; Sindicato da categoria soltou nota de repúdio, afirmando não admitir "que os trabalhadores em educação sejam tratados com falta de educação e respeito"; candidato pediu desculpas (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 – O candidato ao governo do Rio Grande do Sul José Ivo Sartori (PMDB) revoltou professores do estado ao fazer uma brincadeira associando o piso salarial da categoria com a Tumelero, loja de materiais de construção.

"Eu fui lá no Cpers (Sindicato dos Professores do Estado) e não assinei o documento exigindo um compromisso de pagar ou resgatar o salário, vamos dizer...como é que diz mesmo? O piso! O piso eu vou lá no Tumelero (loja de material de construção) e eles te dão um piso melhor, né? (risos). Ali tem piso bom, né?", afirmou o peemedebista ao Portal da Terra.

Veja o vídeo: 

Ao saber ter conhecimento das declarações do candidato, o Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (Cpers-Sindicato) soltou uma nota de repúdio contra a brincadeira de Sartori. Segundo o texto, o Cpers-Sindicato "é uma entidade de todos os educadores e, enquanto tal, não tem preferência partidária. Não podemos, entretanto, aceitar que postulantes ao governo do Estado brinquem com coisas sérias".

"Conclamamos a sociedade gaúcha a defender, junto conosco, o Piso Nacional dos professores dentro do Plano de Carreira, medida essencial para garantir uma educação pública de qualidade", diz a nota. "Não admitimos que os trabalhadores em educação sejam tratados com falta de educação e respeito".

A Coligação O Novo Caminho para o Rio Grande também soltou nota."A direção da campanha O Novo Caminho para o Rio Grande esclarece que o candidato José Ivo Sartori, que também é professor, teve um trecho de 27 segundos – de uma entrevista de 54 minutos – retirada de um contexto onde ele fazia referência à promessa não cumprida de pagamento do piso salarial dos professores", diz o texto.

Ainda, conforme o comunidade, "Sartori pede desculpas por qualquer mal-estar causado, reforçando o respeito que tem pelos professores e lembrando que quem não respeita o Magistério é o candidato Tarso, do PT, que assinou a lei e não cumpre ao não pagar o piso aos professores."

Sartori disputa o segundo turno da eleição para governador do Rio Grande do Sul contra o atual chefe do Executivo gaúcho, Tarso Genro (PT). No primeiro turno, o peemedebista alcançou 40,40% dos votos válidos (2.487.889), e o petista, 32,57% (1.776.450). Pesquisa Ibope, divulgada na sexta-feira (17), mostra Sartori na primeira posição, com 60%, e seu adversário, com 40%.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247