Delação da JBS deixa o PSDB-MG sem rumo para 2018

O cenário eleitoral de 2018 em Minas perdeu o seu principal expoente: o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), que seria o condutor natural da escolha do candidato tucano a governador; mas a sua força política, que já vinha despencando, cairá ainda mais, depois que ele foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, dono da JBS; caminho para o governador Fernando Pimentel fica mais aberto, até porque o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), a princípio, não quer ser candidato; com a derrocada dos tucanos em Minas, um político do PP, Dinis Pinheiro, presidiu a AL-MG, pode ser opção do PSDB para fazer frente a Pimentel

aecio neves
aecio neves (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - O cenário eleitoral de 2018 em Minas Gerais perdeu a sua principal liderança: o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), que seria o condutor natural da escolha do candidato tucano a governador. Mas a sua força política, que já vinha despencando, cairá ainda mais, depois que ele foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, da JBS, dinheiro que depois chegou a Belo Horizonte escondido em malas e entregue a um primo do tucano. Segundo a PF, o dinheiro foi depositado numa empresa do senador Zeze Perrella (PMDB-MG). O dinheiro foi  pedido para supostamente pagar advogados, ainda segundo Lauro Jardim, mas tucano tratou a propina como venda de apartamento.

Um tucano mineiro próximo a Aécio lembra que o efeito da Operação Lava-Jato sobre o senador afastado e Lula foram opostos. O ex-presidente é ainda favorito nas pesquisas para 2018, enquanto a popularidade de Aécio despencou. O mesmo tucano avalia que se Lula puder se candidatar, ajudará o governador de Minas, Fernando Pimentel, a se reeleger. O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) é lembrado para bater de frente com Pimentel, mas o parlamentar avisou que não será candidato ao governo.

Um político do PP, Dinis Pinheiro, pode preencher esta espaço em Minas. Ex-PSDB, ele foi deputado estadual e presidente da Assembleia mineira. Explora a imagem de homem de origem simples e interiorano. Aliados dizem que ele já conta com a simpatia de alas do PSDB, do DEM, do PTB, PPS e Solidariedade. 

Em 2014 e em 2016, Aécio e seus candidatos foram derrotados em Minas para presidente, governador e prefeito de Belo Horizonte.
 
Leia mais na edição do Valor

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247