Deputado critica venda de poços: ‘Perde a Bahia e a Petrobras’

A venda dos principais poços produtivos em território baiano, segundo o deputado federal Jorge Solla, é prejudicial à estatal e aos baianos; ele promete apresentar nesta terça-feira (6) requerimento solicitando informações à Mesa da Câmara para que o Ministério de Minas e Energia explique as razões para a venda destes ativos; "O campo de Miranga é um dos maiores produtores de gás do Brasil, o de Buracica tem quase 70 anos de atividade e continua dando lucro operacional expressivo para a Petrobras. Como é que, na crise, você vende justamente aquilo que lhe dá capacidade de ganhar dinheiro?", questiona Solla

Solla
Solla (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Após a etapa de qualificação para os compradores dos poços de petróleo sob exploração da Petrobras na Bahia, prevista para ser concluída nesta segunda-feira (5), restarão apenas detalhes para que a estatal reduza para menos da metade a sua atuação no estado.

A decisão da venda dos principais poços produtivos em território baiano, segundo o deputado federal Jorge Solla (PT-BA), é prejudicial à estatal e aos baianos.

Solla promete apresentar nesta terça-feira (6) requerimento solicitando informações à Mesa da Câmara para que o Ministério de Minas e Energia explique as razões para a venda destes ativos.

"O campo de Miranga é um dos maiores produtores de gás do Brasil, o de Buracica tem quase 70 anos de atividade e continua dando lucro operacional expressivo para a Petrobras. Como é que, na crise, você vende justamente aquilo que lhe dá capacidade de ganhar dinheiro? É o raciocínio ilógico e entreguista da atual direção da Petrobras, que está desfazendo nosso patrimônio a preço de banana", critica o deputado baiano.

Miranga e Buracica estão localizados em Pojuca e Alagoinhas, respectivamente. "Porque é uma estatal e que possui uma classe de trabalhadores organizada há um respeito com a sustentabilidade dos poços para evitar a exploração predatória, há um compromisso com o meio-ambiente e com o financiamento de projetos sociais e educacionais dos municípios ligados à exploração do petróleo. Com a privatização, teremos o cenário básico da demissão, dos arrochos, dos salários menores e das terceirizações irresponsáveis. Neste negócio só quem ganha é quem vai comprar os poços, perde a Petrobrás e perde a Bahia", afirma Solla.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247