Deputado nega propina da Camargo Corrêa ao PMDB

Deputado federal Lúcio Vieira Lima nega que seu partido tenha recebido propina da empreiteira Camargo Corrêa, que é investigada na Operação Lava Jato; ele comentou nesta quinta-feira sobre a declaração do ex-presidente da construtora Dalton Avancini, que, em sua delação premiada, afirmou que a empreiteira se comprometeu a pagar ao PMDB R$ 20 milhões em propina para atuar na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte; "Ele pode ter negociado com o peemedebista, não com o partido. Ele tem que dar o nome e dizer quem recebeu a propina", diz Lúcio

Deputado federal Lúcio Vieira Lima nega que seu partido tenha recebido propina da empreiteira Camargo Corrêa, que é investigada na Operação Lava Jato; ele comentou nesta quinta-feira sobre a declaração do ex-presidente da construtora Dalton Avancini, que, em sua delação premiada, afirmou que a empreiteira se comprometeu a pagar ao PMDB R$ 20 milhões em propina para atuar na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte; "Ele pode ter negociado com o peemedebista, não com o partido. Ele tem que dar o nome e dizer quem recebeu a propina", diz Lúcio
Deputado federal Lúcio Vieira Lima nega que seu partido tenha recebido propina da empreiteira Camargo Corrêa, que é investigada na Operação Lava Jato; ele comentou nesta quinta-feira sobre a declaração do ex-presidente da construtora Dalton Avancini, que, em sua delação premiada, afirmou que a empreiteira se comprometeu a pagar ao PMDB R$ 20 milhões em propina para atuar na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte; "Ele pode ter negociado com o peemedebista, não com o partido. Ele tem que dar o nome e dizer quem recebeu a propina", diz Lúcio (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Vice-líder do PMDB na Câmara dos Deputados, o baiano Lúcio Vieira Lima nega que seu partido tenha recebido propina da empreiteira Camargo Corrêa, que é investigada na Operação Lava Jato.

Lúcio comentou nesta quinta-feira (25) sobre a declaração do ex-presidente da construtora Dalton Avancini, que, em sua delação premiada, afirmou que a empreiteira se comprometeu a pagar ao PMDB R$ 20 milhões em propina para atuar na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

"Ele pode ter negociado com o peemedebista, não com o partido. Ele tem que dar o nome e dizer quem recebeu a propina", disse Lúcio ao Bocão News. Para o parlamentar, o PMDB deve apurar esses casos e punir os culpados. "Nós temos que defender o combate à corrupção", disse, acrescentando que "ninguém pede a autorização para fazer isso, o cara vai lá e faz".

O peemedebista aproveitou para alfinetar o PT. "O PT institucionalizou a corrupção, atua para arrecadar recursos de maneira ilícita e manter um projeto de poder. O PMDB tem acusações individuais como outros partidos".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247