Deputado pede mais investimento em saúde na Bahia

Vice-presidente da comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado estadual Alan Sanches (DEM) critica a gestão estadual na saúde pública. Segundo o democrata, "a população paga alto preço"; "Recentemente denunciei que os profissionais do Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus estavam há três meses sem receber salários e dias depois médicos contratados através de Pessoa Jurídica ou cooperativa da UTI Geral do Hospital Roberto Santos, demonstraram insatisfação através de um abaixo assinado também pelo mesmo motivo, ameaçando, inclusive, uma mobilização radicalizada"

Alan Sanches
Alan Sanches (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Vice-presidente da comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado estadual Alan Sanches (DEM) critica a gestão estadual na saúde pública. Segundo o democrata, "a população paga alto preço".

"Recentemente denunciei que os profissionais do Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ) estavam há três meses sem receber salários e dias depois médicos contratados através de Pessoa Jurídica ou cooperativa da UTI Geral do Hospital Roberto Santos, demonstraram insatisfação através de um abaixo assinado também pelo mesmo motivo, ameaçando, inclusive, uma mobilização radicalizada".

O deputado diz ainda que após fechar importantes UPAs, como a de Escada, no Subúrbio Ferroviário, e a de São Caetano, a Sesab vive no faz de conta de que estas decisões não estão provocando sobrecarga na rede de atendimento de Salvador, "que também já é precária".

"E quem constatou isso não fui eu, mas sim o Ministério Público da Bahia (MP-BA) após abertura de um inquérito civil para apurar uma eventual desassistência à população por conta do encerramento das atividades da unidade de São Caetano, por exemplo".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247