Deputados de Alagoas repudiam críticas a Lula

Texto do Instituto Teotônio Vilela, ligado ao PSDB, chama ex-presidente de "caixeiro-viajante" e "garoto-propaganda dos sonhos de qualquer empresa"; para o deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT), o PSDB "não tem moral para falar do presidente que mais fez pelo país"; Judson Cabral, também do PT, provocou: "Os empresários fazem convites para pessoas que têm conteúdo"

Deputados de Alagoas repudiam críticas a Lula
Deputados de Alagoas repudiam críticas a Lula
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Gazetaweb - Os deputados estaduais que compõem a base do PT em Alagoas reagiram, nesta segunda-feira (25), às críticas publicadas no site do Instituto Teotônio Vilela (órgão de estudos e pesquisas ligado ao PSDB) ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No material, Lula é chamado de "caixeiro-viajante" e "garoto-propaganda dos sonhos de qualquer empresa". Os parlamentares classificaram os ataques como "mesquinharia" e afirmaram que o PSDB, do governador Teotonio Vilela Filho, "governa para os ricos".

Para o deputado Ronaldo Medeiros (PT), o PSDB "não tem moral para falar do presidente que mais fez pelo país". "Ele é um líder nato e está acima de qualquer discussão partidária. Ele mostrou como se faz política, governando para os pobres e promovendo verdadeira revolução social, coisa que os tucanos não conseguiram fazer", comentou Medeiros, destacando que a solidez da economia brasileira, "que tem se esquivado de grandes crises como a que assola a Espanha", é fruto da gestão petista.

"O governo federal está fazendo a sua parte. A criação de empregos, por exemplo, só não cresceu em Alagoas, o que é lamentável. Esta mesquinharia promovida pelo PSDB, que governou para os ricos, busca tão somente a antecipação das eleições de 2014, já que os tucanos estão divididos e não têm candidatos à altura, já que, nem em São Paulo [governado pelo PSDB], Aécio Neves [senador e pré-candidato à Presidência da República] é bem votado", comparou Ronaldo Medeiros.

Para o deputado, anormal seria se o ex-presidente Lula 'tentasse esconder as viagens que têm feito'. "São acordos de comércio e é absolutamente natural que, para a promoção do país lá fora, o ex-presidente esteja acompanhado de empresários", emendou Medeiros.

Já o deputado Judson Cabral afirmou que o PSDB ainda se sente incomodado com a redemocratização promovida pelo ex-presidente Lula. "Lula foi o presidente que tirou milhões de brasileiros da miséria. E ele não seria convidado à toa para ministrar palestras longe daqui. Os empresários fazem convites para pessoas que têm conteúdo. Ele é um cidadão comum que, por isso, pode fazer o que bem entender, já que não mais se encontra na esfera pública", avaliou.

Para o petista, o governo estadual até reconheceria a 'forma republicana' com a qual a presidenta Dilma Roussef (PT) tem lidado com Alagoas, 'desconsiderando as adversidades políticas'. "Mas a manifestação dos tucanos sobre o presidente Lula não reflete a opinião da maioria. A presidenta já exerce uma liderança real, incomodando o tucanato, que não apresenta propostas e, por isso, vive a falar dos outros, tentando paralisar o desenvolvimento pelo qual passamos. Este ataque, portanto, não fará efeito algum, pois, não atingirá o ex-presidente Lula", complementou o deputado estadual.

AS CRÍTICAS

O Instituto Teotônio Vilela publicou um artigo em seu endereço eletrônico (www.itv.org.br), na última sexta-feira (22), em que ataca o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) ao repercutir reportagem do jornal Folha de São Paulo.

No mesmo dia, a Folha veiculou matéria sobre as viagens que o ex-presidente têm feito ao redor do mundo, dando conta de que empreiteiras teriam financiado quase metade dos compromissos de Lula fora do país.

O texto assinado pelo Instituto Teotônio Vilela se refere ao ex-presidente Lula ridicularizando o título de "líder do povo". O material ataca a gestão petista, que, para o instituto, teria sido transformada em um verdadeiro "balcão de negócios".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email