Deputados lamentam decisão de retirada de barracas da Praia do Futuro

A decisão favorável à retirada das barracas da Praia do Futuro que não possuem autorização da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) para funcionar foi repudiada por deputados estaduais nesta quinta-feira (6), na Assembleia Legislativa. Sérgio Aguiar defendeu a organização dos empreendimentos e disse que solicitará audiência pública para discutir o assunto. "Repudio a decisão de retirar essas barracas que engrandecem o nosso turismo", declarou. Ely Aguiar (PSDC), Odilon Aguiar (PMB) e Danniel Oliveira (PMDB) também se pronunciaram contra a decisão

A decisão favorável à retirada das barracas da Praia do Futuro que não possuem autorização da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) para funcionar foi repudiada por deputados estaduais nesta quinta-feira (6), na Assembleia Legislativa. Sérgio Aguiar defendeu a organização dos empreendimentos e disse que solicitará audiência pública para discutir o assunto. "Repudio a decisão de retirar essas barracas que engrandecem o nosso turismo", declarou. Ely Aguiar (PSDC), Odilon Aguiar (PMB) e Danniel Oliveira (PMDB) também se pronunciaram contra a decisão
A decisão favorável à retirada das barracas da Praia do Futuro que não possuem autorização da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) para funcionar foi repudiada por deputados estaduais nesta quinta-feira (6), na Assembleia Legislativa. Sérgio Aguiar defendeu a organização dos empreendimentos e disse que solicitará audiência pública para discutir o assunto. "Repudio a decisão de retirar essas barracas que engrandecem o nosso turismo", declarou. Ely Aguiar (PSDC), Odilon Aguiar (PMB) e Danniel Oliveira (PMDB) também se pronunciaram contra a decisão (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - Os deputados Sérgio Aguiar (PDT), Ely Aguiar (PSDC), Odilon Aguiar (PMB) e Danniel Oliveira (PMDB) lamentaram, em pronunciamentos na Assembleia Legislativa nesta quinta (6), a decisão do Tribunal Regional da 5° Região (TRF5), em Recife, de retirar barracas da Praia do Futuro que não possuem autorização da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) para funcionar. A saída deve ocorrer até 2019.

Sérgio Aguiar informou que a decisão foi tomada na quarta-feira (5) por 13 votos a um. "Dessa forma, os estabelecimentos passam a ter dois anos para saírem da Praia do Futuro, além de retirar brinquedos, piscinas e demais acessórios", afirmou. O parlamentar disse que a ação, ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) contra 154 proprietários de barracas da região, sustenta que alguns empreendimentos estão impedindo o livre acesso à praia. "A organização das barracas é mais prudente. Repudio a decisão de retirar essas barracas que engrandecem o nosso turismo", avaliou.

O pedetista anunciou ainda que vai solicitar audiência pública para debater a situação na Assembleia Legislativa. "Quero levantar ideias que possam engrandecer o nosso cartão postal. Até 2019 devemos estudar a padronização das barracas e uma melhor organização", sugeriu. "A decisão de retirar essas barracas irregulares é lamentável e vai impactar negativamente o turismo e muitas famílias", disse.

Em aparte, o deputado Ely Aguiar (PSDC) comentou que a decisão foi tomada por pessoas que não conhecem a Praia do Futuro e não entendem do turismo na Capital. "É sensato padronizar todas as barracas, mas não retirar. Essa decisão vai prejudicar muitas pessoas direta e indiretamente", ressaltou.

O deputado Odilon Aguiar (PMB) defendeu a necessidade de criar mais atrativos turísticos na Cidade e a continuidade dos empreendimentos. "Sabemos da importância dessas estruturas para o turismo e geração de emprego para nossa região", disse. E segundo o deputado Danniel Oliveira (PMDB), o presidente do Senado, senador Eunício Oliveira (PMDB/CE), já está ciente e sensível à situação.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247