Deputados novatos mantêm vícios dos veteranos

Expectativa em cima da atuação dos jovens parlamentares era grande, mas no caso da verba indenizatória eles repetem os vícios dos colegas veteranos; cada deputado tem direito a R$ 21 mil por mês de auxílio, além do salário; saltam aos olhos os gastos com alimentação; Jean Carlo gastou R$ 2 mil num restaurante francês da Capital e Zé Antônio usou R$ 4,3 mil em comida; Virmondes Cruvinel foi mais modesto, mas não deixou de pedir reembolso dos R$ 65,00 gastos num restaurante; Marquinhos do Privé foi no mesmo embalo e apresentou notas alimentícias no valor de R$ 1,6 mil

Expectativa em cima da atuação dos jovens parlamentares era grande, mas no caso da verba indenizatória eles repetem os vícios dos colegas veteranos; cada deputado tem direito a R$ 21 mil por mês de auxílio, além do salário; saltam aos olhos os gastos com alimentação; Jean Carlo gastou R$ 2 mil num restaurante francês da Capital e Zé Antônio usou R$ 4,3 mil em comida; Virmondes Cruvinel foi mais modesto, mas não deixou de pedir reembolso dos R$ 65,00 gastos num restaurante; Marquinhos do Privé foi no mesmo embalo e apresentou notas alimentícias no valor de R$ 1,6 mil
Expectativa em cima da atuação dos jovens parlamentares era grande, mas no caso da verba indenizatória eles repetem os vícios dos colegas veteranos; cada deputado tem direito a R$ 21 mil por mês de auxílio, além do salário; saltam aos olhos os gastos com alimentação; Jean Carlo gastou R$ 2 mil num restaurante francês da Capital e Zé Antônio usou R$ 4,3 mil em comida; Virmondes Cruvinel foi mais modesto, mas não deixou de pedir reembolso dos R$ 65,00 gastos num restaurante; Marquinhos do Privé foi no mesmo embalo e apresentou notas alimentícias no valor de R$ 1,6 mil (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Para esta Legislatura foi criada expectativa em cima da atuação de deputados jovens de primeiro mandato, mas até o momento a turma novata não se mostrou diferenciada, ao contrário; vem caindo nos mesmos vícios dos veteranos da Casa. Ao acessar a site da Transparência da Assembleia Legislativa, o cidadão pode conferir que os parlamentares usam e abusam da tal "verba indenizatória" no mês de fevereiro.

Cada deputado recebe R$ 21 mil por mês, além do salário, para gastar com o custeio do trabalho parlamentar. Funciona assim: o deputado gasta seu dinheiro, apresenta a nota fiscal ao Poder Legislativo e é ressarcido. Tudo dentro da lei, diga-se. Só que salta aos olhos os altos valores gastos em restaurantes chiques da Capital.

Tem deputado que chega comer até R$ 2 mil num buffet de alta gastronomia e depois apresenta a nota para a Assembleia, ou seja, o povo pagar. É o caso do novato Jean Carlo (PHS). Ele cobrou e recebeu da Assembleia uma nota de R$ 2.063, paga ao restaurante francês L’Etoile D’Argent, um dos mais chiques de Goiânia.

O novato Zé Antônio (PTB) gastou R$ 4,3 mil em comida e só no Campanhola Restaurante comeu um total de R$ 2 mil. O ex-vereador Virmondes Cruvinel (PSD) foi mais modesto, no entanto não deixou de cobrar os R$ 65,00 que comeu no Columbus Restaurante. Marquinhos do Privé (PSDB), dono de um complexo hoteleiro na turística Caldas Novas, também quis ser reembolsado em R$ 1,6 mil gastos com alimentação.

A comilança proporcionada pela verba indenizatória não é privilégio só dos novatos. Os veterano também se esbaldam. O peemedebista Paulo Cezar Martins gastou R$ 8,5 mil em três restaurantes. 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247