Deputados pedem aprovação de PEC para eleições diretas

"O Temer não tem mais como continuar no cargo, que vai ficar vago e entendo que o Congresso Nacional não tem legitimidade nem autoridade moral neste momento para escolher a pessoa que vai dirigir os rumos da nação nesta crise", avaliou o deputado Elmano Freitas (PT), em pronunciamento nesta quinta (18), na Assembleia Legislativa. A opinião do petista foi endossada por outros colegas da Casa, como Fernando Hugo (PP) e José Sarto (PDT)

"O Temer não tem mais como continuar no cargo, que vai ficar vago e entendo que o Congresso Nacional não tem legitimidade nem autoridade moral neste momento para escolher a pessoa que vai dirigir os rumos da nação nesta crise", avaliou o deputado Elmano Freitas (PT), em pronunciamento nesta quinta (18), na Assembleia Legislativa. A opinião do petista foi endossada por outros colegas da Casa, como Fernando Hugo (PP) e José Sarto (PDT)
"O Temer não tem mais como continuar no cargo, que vai ficar vago e entendo que o Congresso Nacional não tem legitimidade nem autoridade moral neste momento para escolher a pessoa que vai dirigir os rumos da nação nesta crise", avaliou o deputado Elmano Freitas (PT), em pronunciamento nesta quinta (18), na Assembleia Legislativa. A opinião do petista foi endossada por outros colegas da Casa, como Fernando Hugo (PP) e José Sarto (PDT) (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - Os deputados Elmano Freitas (PT), Fernando Hugo (PP) e José Sarto pediram, em depoimentos na Assembleia Legislativa nesta quinta (18), a aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC) nº 227/2016, em tramitação no Congresso Nacional. De autoria do deputado federal Miro Teixeira (Rede/RJ), o texto prevê que, em caso de cassação do mandato do presidente e do vice, haja eleições diretas para a escolha do sucessor. Atualmente, a Constituição prevê que a escolha é feita por eleição indireta pelo Congresso Nacional caso a vacância ocorra nos dois últimos anos do mandato.

A preocupação veio à tona em razão das últimas denúncias envolvendo o presidente Michel Temer. De acordo com Elmano Freitas, a situação do presidente ficou insustentável com a divulgação de gravações, nas quais foi flagrado dando aval para o pagamento de propina ao deputado cassado Eduardo Cunha em troca do silêncio dele.

Para o petista, é preciso encontrar uma solução imediata para a crise política. “O (presidente) Temer não tem mais como continuar no cargo, que vai ficar vago e entendo que o Congresso Nacional não tem legitimidade nem autoridade moral neste momento para escolher a pessoa que vai dirigir os rumos da nação nesta crise”, avaliou o parlamentar.

De acordo com o parlamentar, é papel das lideranças políticas do País a busca de uma solução para este momento. Elmano Freitas sugeriu que os partidos apresentem propostas para superar a crise e reformar o sistema político brasileiro.

Em aparte, o deputado Fernando Hugo (PP) manifestou apoio à PEC. “O mínimo que o delinquente do Temer deveria fazer era renunciar. Mas, se ele não fizer isso, que se coloque esta PEC para tramitar e se eleja um novo presidente”, solicitou.

O deputado José Sarto (PDT) também endossou a opinião do colega. “A saída no momento é eleição direta para presidente”, destacou.  

O deputado Moisés Braz (PT), por sua vez, disse estar envergonhado com a situação política do País. “Aqueles que vibraram com o impeachment da Dilma e tentaram criminalizar o PT também devem estar bem envergonhados com tudo isso que está acontecendo”, comentou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247