"Dilma antecipou 2014 com medo de Lula"

Teoria é do deputado Jutahy Magalhães Jr., do PSDB; "Ela antecipou o processo para não ter discussão interna no PT se a candidata era ela ou Lula"; tucano diz que, "em clima de campanha", a presidente vai a Minas e a Pernambuco para "neutralizar" os possíveis adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), respectivamente; Jutahy diz ainda que "o governo por está trabalhando de forma ostensiva para aprovar uma lei que diminui o tempo de televisão" para atingir Aécio e Marina Silva

"Dilma antecipou 2014 com medo de Lula"
"Dilma antecipou 2014 com medo de Lula"

Bahia 247

O deputado Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) foi além na tese de que a presidente Dilma Rousseff foi quem antecipou o debate eleitoral por 2014 e atribui a agenda considerada de campanha da chefe da nação pelo "medo" que ela estaria da possibilidade de o PT lançar o ex-presidente Lula à disputa.

"Pelo medo de ter o Lula como candidato, ou seja, ela antecipou o processo para não ter discussão interna no PT se a candidata era ela ou Lula", disse o tucano em entrevista à rádio Tudo FM. Tal qual seu correligionário e conterrâneo Antônio Imbassahy, líder da minoria no Congresso, Jutahy bate forte na presidente por conta da antecipação do debate.

"O processo eleitoral de 2014 já começou. É uma coisa incrível que quem tenha começado o processo eleitoral seja o próprio governo, que deveria estar preocupado em governar o país. Precipitar o debate prejudica imensamente a administração porque decisões governamentais são pautadas por interesses eleitorais". Como exemplo do discurso 'eleitoreiro', Jutahy cita o enfrentamento do governo contra a alta nos juros.

Tucano diz ainda que as visitas de Dilma a Pernambuco e a Minas Gerais têm teor de palanque eleitoral e que ela vai para "neutralizar" os possíveis adversários locais. "Vai para Pernambuco para quê? Para marcar o Eduardo Campos [governador]. Vai para Minas Gerais para quê? Para marcar Aécio Neves [senador pelo PSDB]".

Serrista de carteirinha, Jutahy não perdeu a esperança de ver o ex-governador de São Paulo disputar o Planalto mais uma vez. "Há 99% de chance de o candidato do PSDB ser Aécio Neves".

O tucano criticou também o governo por estar "trabalhando de forma ostensiva para aprovar uma lei que diminui o tempo de televisão, o fundo partidário" para "atingir" os pré-candidatos à Presidência Eduardo Campos (PSB) e a ex-senadora Marina Silva. Segundo o tucano, se a norma for aprovada, "Dilma vai ter 61% do tempo de televisão no primeiro turno e Marina vai ter 19 segundos".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247