Dilma: somos capazes de enterrar esse golpe, como enterramos o de 1964

Durante ato no Pátio do Carmo, no Recife, parte da caravana do ex-presidente Lula pelo Nordeste, a presidente deposta Dilma Rousseff discursou: "A gente supunha que o país não ia sentir outra vez um golpe de Estado. 13 anos após conquistas sociais, isso ocorre"; ela afirmou que o impeachment que a tirou do poder "é um golpe para tirar dos trabalhadores todos os direitos conquistados" e que "só ampliando a mobilização e a organização conseguiremos revertê-lo"; para Dilma, a "caravana é uma grande marcha para a democracia. E para elegermos nosso grande líder Lula"

dilma 
dilma  (Foto: Gisele Federicce)

247 - A presidente deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, aderiu à caravana do ex-presidente Lula em ato no Recife na noite desta sexta-feira 25.

A uma multidão no Pátio do Carmo, Dilma discursou: "A gente supunha que o país não ia sentir outra vez um golpe de Estado. 13 anos após conquistas sociais, isso ocorre".

Após mencionar retrocessos do governo Temer, como a retirada de 2 milhões de beneficiários do Bolsa Família, Dilma afirmou que o impeachment que a tirou do poder "é um golpe para tirar dos trabalhadores todos os direitos conquistados" e que "só ampliando a mobilização e a organização conseguiremos revertê-lo".

A presidente legítima também denunciou o machismo do golpe: "Tenho certeza que cada mulher aqui tem certeza do caráter machista e misógino desse golpe". E agradeceu à bancada pernambucana por ter votado contra o impeachment, "em um gesto de decência e coragem".

Para Dilma, a "caravana é uma grande marcha para a democracia. E para elegermos nosso grande líder Lula". "Só ampliando a mobilização e a organização conseguiremos reverter este golpe", ressaltou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247