Doria pediu ao governo federal favores à mulher

Pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, empresário intercedeu junto ao chefe da Apex Brasil, David Barioni, nomeado pela presidente Dilma Rousseff (PT), para que patrocinasse uma exposição de Bia Doria no exterior; episódio é revelado em uma troca de e-mail realizada entre os três em abril; o patrocínio acabou negado, mas episódio expõe as contradições do tucano, que na semana passada declarou que pediria ao juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, que adiasse a prisão do ex-presidente Lula para que ele pudesse pedir votos para os candidatos a prefeito do PT

Pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, empresário intercedeu junto ao chefe da Apex Brasil, David Barioni, nomeado pela presidente Dilma Rousseff (PT), para que patrocinasse uma exposição de Bia Doria no exterior; episódio é revelado em uma troca de e-mail realizada entre os três em abril; o patrocínio acabou negado, mas episódio expõe as contradições do tucano, que na semana passada declarou que pediria ao juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, que adiasse a prisão do ex-presidente Lula para que ele pudesse pedir votos para os candidatos a prefeito do PT
Pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, empresário intercedeu junto ao chefe da Apex Brasil, David Barioni, nomeado pela presidente Dilma Rousseff (PT), para que patrocinasse uma exposição de Bia Doria no exterior; episódio é revelado em uma troca de e-mail realizada entre os três em abril; o patrocínio acabou negado, mas episódio expõe as contradições do tucano, que na semana passada declarou que pediria ao juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, que adiasse a prisão do ex-presidente Lula para que ele pudesse pedir votos para os candidatos a prefeito do PT (Foto: Aline Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O empresário e pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo João Dória Junior intercedeu junto a David Barioni, chefe da Apex Brasil nomeado pela presidente Dilma Rousseff (PT) que patrocinasse uma exposição de sua mulher, Bia Doria, no exterior. O episódio é revelado em uma troca de e-mail realizada entre os três em abril e ao qual a Folha teve acesso.

Na mensagem a Bariani, Bia, que é artista plástica, diz que teve aprovado R$ 1,7 bilhão pela Lei Rouanet mas que estava difícil conseguir captar os recursos por meio de empresas. Bia ressalta que Doria, copiado na mensagem, poderia expressar alguma contrariedade, se houvesse, ao pedido de patrocínio. "Nenhuma objeção. Pelo contrário", manifesta Doria na sequência. “Barioni, aqui ao meu lado, vai avançar neste tema com você", arremata.

Causa espanto João Dória pedir favores ao governo Dilma, ele um dos grandes críticos do governo do PT. Na semana passada o empresário chegou a dizer que pediria ao juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, para adiar a prisão do ex-presidente Lula para que ele pudesse estar presente nos palanques dos candidatos do PT a prefeito neste ano Segundo ele, a presença de Lula é prejudicial aos postulantes.

As assessorias da Apex Brasil e do Grupo Doria confirmaram à Folha o pedido de patrocínio, mas disseram que o valor solicitado pela artista acabou não sendo liberado. A Apex afirmou ainda que o e-mail de seu presidente é público e, portanto, "acionado por várias entidades e empresas que encaminham propostas de projetos e patrocínios" e que uma análise de sua área técnica negou o pedido de Bia.

Barioni é amigo de João Doria, a quem chama de “meu guru”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247