Doria vai à Justiça para internar à força dependentes de drogas

Prefeito de São Paulo anunciou que já entrou na Justiça com um pedido de permissão para internar dependentes químicos da Cracolândia compulsoriamente, ou seja, contra sua vontade; atualmente, quem decide caso a caso se o dependente pode ser internado à força é a Justiça; se o pedido de Doria for atendido, será a equipe médica da prefeitura quem passará a decidir

doria cracolândia
doria cracolândia (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - A gestão do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (24) que pediu à Justiça permissão para internar compulsoriamente os dependentes químicos da região da Cracolândia, no centro de São Paulo.

Segundo o secretário de Negócios Jurídicos da Prefeitura, Anderson Pomini, as internações ocorreriam depois de o paciente ser avaliado por uma equipe de médicos e psicólogos da Prefeitura.

De acordo com o secretário, a ordem judicial também permitirá à Prefeitura retirar os usuários de drogas do centro de São Paulo e mandá-los para avaliação médica mesmo contra a vontade do usuário. Pomini alega que essa seria uma "última alternativa" para casos graves de dependência. Como a Prefeitura entrou com o pedido em caráter de urgência, o TJSP deve analisar o pedido ainda nesta quarta-feira.

Essa é mais uma etapa das ações da gestão Doria tem promovido esta semana na Cracolândia. No domingo (21), uma operação policial prendeu 38 pessoas na região. Na terça-feira (23), um imóvel foi demolido com pessoas dentro - três moradores que estavam dormindo ficaram feridos.

Doria e o governador Geraldo Alckmin anunciariam nesta manhã investimentos imobiliários na região da Luz, mas os dois mandatários tucanos foram retirados do local após serem chamados de higienistas por manifestantes. A  coletiva de imprensa teve clima tenso - guardas-civis agrediram um dos manifestantes.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247