“É preciso estancar a sangria dos supersalários”, diz Renan

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) defendeu a aprovação do projeto dos Supersalários nos três poderes que está, desde 2016, parado na Câmara dos Deputados; “Isso tem que acabar! Isso é um acinte! Promotor ganhando R$ 100 mil, R$ 150 mil; juiz de primeira instância ganhando R$200 mil. São notórios os casos. É preciso haver transparência", reclamou

renan calheiros
renan calheiros (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Edivaldo  Júnior/gazetaweb.com - O senador Renan Calheiros defendeu durante a sessão da quarta-feira (20), a aprovação do projeto dos Supersalários nos três poderes. De autoria do parlamentar, a PLS 449/2016, está desde dezembro de 2016, aguardando a votação da Câmara dos Deputados.
“Esse projeto que põe fim aos Supersalários no serviço público não caminha na Câmara. Em um momento de absoluta dificuldade fiscal, conviver com Supersalários, ou com os poderes ainda recebendo penduricalhos, é um horror”, afirmou o senador.

Ainda em seu discurso, ele citou que a Câmara de Conciliação da Advocacia-Geral da União (AGU) enviou ao Supremo Tribunal Federal um relatório sobre o pagamento de auxílio-moradia a juízes e promotores sem um acordo fechado, após três meses de negociação. O documento feito pela AGU traz algumas propostas feitas nas reuniões, mas deixa para a Corte a decisão do que fazer.

Para o senador Renan, enquanto essa medida não for colocada em prática o equilíbrio das contas públicas do Brasil ficará prejudicado. “Isso tem que acabar! Isso é um acinte! Promotor ganhando R$ 100 mil, R$ 150 mil; juiz de primeira instância, em alguns Estados, ganhando R$200 mil. São notórios os casos. É preciso haver transparência! O Supremo Tribunal Federal tem que chamar o feito à ordem e estancar essa sangria, porque nós estamos com um déficit fiscal muito grande”, completou

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email