Ela merece

Dicas para acertar no presente antes, durante e depois das compras no Dia das Mães. Variação de preço para um mesmo produto pode chegar a 200%, constata o Procon-SP

Ela merece
Ela merece (Foto: Shutterstock)

Luciane Macedo _247 - Poucas ocasiões que envolvem celebração e presentes oferecem uma oportunidade tão fácil de agradar quanto o Dia das Mães. Afinal, carinho não vem com etiqueta de preço e nem tamanho, muito menos com prazo de troca. Além disso, é muito mais fácil acertar os gostos e desejos maternos que de qualquer outra pessoa. Quem vai às compras para o Dia das Mães já sabendo o que ela quer ganhar tem melhores chances de não ficar tentado a gastar mais do que pode ou comprar por impulso. Não vai ser fácil resistir ao apelo das vitrines quando o comércio tem, nesta época do ano, o seu "segundo Natal".

Entre ofertas e vantagens, um mesmo produto pode ter uma diferença de preço de até 200%, constatou o Procon-SP em pesquisa realizada em dez lojas em São Paulo, com alguns dos presentes mais procurados para o Dia das Mães. Além da pesquisa de preços, sempre uma aliada do bolso, algumas dicas ajudam a acertar na escolha sem comprometer o bolso ou ter problemas no pós-compra.

Nem sempre o produto mais caro, o último lançamento ou o que está na última moda será o melhor presente. Fique atento ao custo-benefício dentro do que ela gostaria de ganhar ou realmente precisa, especialmente se vai presentear com eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Uma diferença de preço pode se acentuar muito entre um modelo de máquina de café expresso e outro, entre um notebook super sofisticado e um mais simples.

"O comércio vai oferecer muita opção, então tem que saber o perfil da presenteada antes de sair comprando", orienta Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste Associação de Consumidores. "Às vezes, você quer agradar com o produto mais caro, cheio de funções, mas a mãe nem vai usar tudo", observa. "Caso queira mesmo levar o último modelo, veja se ele está bem completo ou se você pode comprar um outro que não é tão atual, mas que será praticamente igual, só que mais barato".

Tablets e celulares merecem especial atenção, devido às promoções e pacotes oferecidos pelas operadoras. Entenda bem as vantagens, os planos de serviços oferecidos, e compare. Cuidado para não "amarrar" sua mãe a um plano de fidelidade que traga problemas depois.

Para garantir a troca de um produto em caso de necessidade, veja se consta, por escrito, na nota fiscal ou na etiqueta do produto, que a troca será aceita. A Proteste lembra que a troca só é obrigatória em caso de defeito na mercadoria. Para trocar um produto por causa de cor, tamanho ou mesmo modelo, é preciso contar com a simpatia do vendedor. Por outro lado, se no ato da compra a loja se comprometeu a trocar os itens nestas situações, o consumidor pode exigir a substituição. Então, não deixe de sair da loja com essa garantia por escrito, especialmente se vai presentear a mãe com roupas e calçados. O prazo para reclamar de defeitos ou vícios aparentes e de fácil constatação é de três meses para produtos duráveis e de um mês para não-duráveis.

Se for comprar pela internet, opte por sites seguros, conhecidos e confiáveis, e certifique-se dos prazos de entrega e política de trocas, sem deixar de checar quais são as formas de contato com a loja virtual. O cuidado deve ser redobrado em sites de compras coletivas, pois as promoções têm prazos limitados e a qualidade dos produtos ou serviços pode deixar a desejar. Para se prevenir contra possíveis dores de cabeça, a Proteste indica que o consumidor também confira a reputação dos varejistas online e sites de compras coletivas junto aos sites de defesa do consumidor e nas redes sociais.

Na hora de acertar o pagamento, desconfie se a loja informar que o preço à vista é igual ao parcelado, orienta a Proteste. Isto significa que a oferta já embute juros, e, caso pretenda pagar à vista, exija desconto, mesmo se optar pelo pagamento integral no cartão de crédito.

Se preferir parcelar, faça o mínimo de parcelas possíveis para não comprometer o orçamento. "Pesquise ainda o custo efetivo total da compra parcelada entre diversas lojas, para saber quanto aquele produto efetivamente vai custar e buscar as melhores condições", assinala Maria Inês. A Proteste lembra, ainda, que lojistas que aceitam cheques não podem impor limite de prazo de abertura da conta corrente ao consumidor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247