Em Caxias do Sul, Haddad promete retomar setor naval

O candidato do PT a presidente, Fernando Haddad, cumpriu nesta quinta-feira, 27, agenda de campanha em Caxias do Sul. Ao lado do candidato a governador do estado, Miguel Rossetto, Haddad prometeu reativar o polo naval do estado. "Eu vou dar um exemplo, a produção dos ônibus, o fórum naval e os estaleiros daqui da região estão todos parados. Tinha estaleiro aqui com mais de 20 mil postos de trabalho. Hoje você não tem 500 trabalhadores. Está faltando usar o poder de compra do próprio governo federal para alavancar a produção local"

Em Caxias do Sul, Haddad promete retomar setor naval
Em Caxias do Sul, Haddad promete retomar setor naval
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - O candidato do PT a presidente, Fernando Haddad, cumpriu nesta quinta-feira, 27, agenda de campanha em Caxias do Sul. Ao lado do candidato a governador do estado, Miguel Rossetto, Haddad reafirmou que defende uma "combinação virtuosa" para tirar o país da crise.

"Oportunidade de trabalho e educação. E o Rio Grande do Sul pode contribuir, porque tem sobra de talento aqui, é um estado desenvolvido e com um potencial enorme", falou Haddad.

Haddad falou sobre o potencial da indústria gaúcha e prometeu reativar o polo naval do estado. "Eu vou dar um exemplo, a produção dos ônibus, o fórum naval e os estaleiros daqui da região estão todos parados. Tinha estaleiro aqui com mais de 20 mil postos de trabalho. Hoje você não tem 500 trabalhadores. Está faltando usar o poder de compra do próprio governo federal para alavancar a produção local"

Como solução, Haddad diz que vai usar as compras governamentais para fazer novas encomendas para a indústria local e que, se não for dessa forma, o Rio Grande do Sul não conseguirá reativar sua indústria.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista de Fernando Haddad:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247