Em Goiânia, ginecologista se nega a atender mulheres que não votem em Bolsonaro

Uma atendente do Hospital Vittá, em Goiânia (GO), vestida com a camiseta do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), aparece em um vídeo que circula na internet advertindo os pacientes que o ginecologista Cláudio Coelho de Vasconcelos se nega a atender quem não vote no candidato; o ginecologista e obstetra Cláudio Coelho de Vasconcelos já foi condenado, em 2009, a doar cinco cestas básicas para uma instituição de caridade em Goiânia após ser indiciado por ter retirado sem autorização o útero de uma desempregada de 47 anos de idade; vídeo

Em Goiânia, ginecologista se nega a atender mulheres que não votem em Bolsonaro
Em Goiânia, ginecologista se nega a atender mulheres que não votem em Bolsonaro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Revista Fórum - Uma atendente do Hospital Vittá, em Goiânia (GO), vestida com a camiseta do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), aparece em um vídeo que circula na internet advertindo os pacientes que o ginecologista Cláudio Coelho de Vasconcelos se nega a atender quem não vote no candidato.

O ginecologista e obstetra Cláudio Coelho de Vasconcelos já foi condenado, em 2009, a doar cinco cestas básicas para uma instituição de caridade em Goiânia. O especialista foi indiciado pela Polícia Civil por lesão corporal leve após ter retirado sem autorização o útero de uma desempregada de 47 anos de idade. O fato aconteceu no Hospital Santa Lúcia, na Capital.

A conversa foi gravada em vídeo por um paciente e pode ser vista abaixo:

 

Continue lendo na Fórum

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247