Em greve, policiais querem nova proposta do governo

Na véspera do carnaval, os policiais civis de Alagoas decidiram entrar em greve por tempo indeterminado para pressionar o governo a fazer uma nova proposta de reajuste salarial; anteriormente, o governador Renan Filho havia dito que não concederia reajuste a uma categoria específica, mas que um canal de diálogo estava aberto; ainda nesta sexta-feira (24) haverá reunião na secretaria de Planejamento

Na véspera do carnaval, os policiais civis de Alagoas decidiram entrar em greve por tempo indeterminado para pressionar o governo a fazer uma nova proposta de reajuste salarial; anteriormente, o governador Renan Filho havia dito que não concederia reajuste a uma categoria específica, mas que um canal de diálogo estava aberto; ainda nesta sexta-feira (24) haverá reunião na secretaria de Planejamento
Na véspera do carnaval, os policiais civis de Alagoas decidiram entrar em greve por tempo indeterminado para pressionar o governo a fazer uma nova proposta de reajuste salarial; anteriormente, o governador Renan Filho havia dito que não concederia reajuste a uma categoria específica, mas que um canal de diálogo estava aberto; ainda nesta sexta-feira (24) haverá reunião na secretaria de Planejamento (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Em greve por tempo indeterminado, policiais civis de Alagoas tentam pressionar o governo a fazer uma nova proposta de reajuste salarial. Nesta manhã, representantes do sindicato que representa a categoria cobraram do governador Renan Filho (PMDB) uma solução para o impasse. Uma reunião com o secretário do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Fabrício Marques, está prevista para hoje.

"Isso [aumento] depende de conta. Não é só a vontade do governador, porque, se não, a gente instala o caos. Nós estendemos o valor. Aí nós vamos garantir piso e aumento", disse Renan Filho em conversa com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas, Josimar Melo dos Santos, sem especificar a proposta.

Antes dessa conversa, o governador havia dito à imprensa que não concederia reajuste a uma categoria específica, mas que um canal de diálogo estava aberto entre o Estado e os servidores, para discutir as propostas. De acordo com ele, a segurança durante o período carnavalesco está garantida, com a presença de 7.600  homens.

"Teremos 7.600 homens e vamos dialogar com todas as categorias, mas não podemos dar aumento pontual antes de divulgarmos o aumento geral dos servidores. Eu gostaria de dar o aumento geral. Estamos estudando como fazer isso", respondeu Renan Filho quando questionado pela imprensa local sobre o assunto.

Os policiais civis devem realizar uma assembleia, ainda nesta sexta-feira, na sede do Sindicato dos Urbanitários, para discutir um cronograma de atividades durante a greve por tempo indeterminado que foi decidida pela categoria. Caso haja uma nova proposta por parte do governo, o tema deve entrar em pauta na assembleia.

O Sindpol afirma que a greve dos policiais civis está mantida e garante que só 30% dos serviços vão funcionar. Segundo Josimar Melo dos Santos, presidente do sindicato, só os flagrantes serão registrados.

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio informou, por meio de nota, que está em permanente negociação com os policiais civis, mas ressaltou que o atual cenário econômico é "delicado".

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA:

Desde o início da atual gestão, o Estado tem se empenhado, por meio da Mesa de Negociação Permanente do Governo, a resolver os pleitos da categoria. As tratativas acerca de uma proposta de reajuste do piso salarial vêm sendo discutidas abertamente com os policiais civis desde 2016.

O cenário econômico atual em todo o País é delicado, mas Alagoas tem se destacado como um Estado que cumpre todos os seus compromissos e vai continuar cumprindo. Isso não pode mudar. Portanto, nenhuma decisão que crie qualquer tipo de risco será tomada pelo Governo.


 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247