Em Minas, arrecadação de impostos da maioria das prefeituras é insuficiente

Os tributos municipais representaram menos de 20% do valor movimentado nos cofres de 568 prefeituras mineiras no ano passado, de acordo com levantamento feito pelo TCE-MG; a situação financeira é pior em 163 cidades onde mais de 90% da receita foi consequência de repasses federais ou estaduais

Os tributos municipais representaram menos de 20% do valor movimentado nos cofres de 568 prefeituras mineiras no ano passado, de acordo com levantamento feito pelo TCE-MG; a situação financeira é pior em 163 cidades onde mais de 90% da receita foi consequência de repasses federais ou estaduais
Os tributos municipais representaram menos de 20% do valor movimentado nos cofres de 568 prefeituras mineiras no ano passado, de acordo com levantamento feito pelo TCE-MG; a situação financeira é pior em 163 cidades onde mais de 90% da receita foi consequência de repasses federais ou estaduais (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - Os tributos municipais representaram menos de 20% do valor movimentado nos cofres de 568 prefeituras mineiras no ano passado. É o que aponta um levantamento feito pelo Tribunal de Contas (TCE-MG). A situação financeira é pior em 163 cidades onde mais de 90% da receita foi consequência de repasses federais ou estaduais.

Em outros 75 municípios a cobrança do IPTU não passou de R$ 5 mil em 2016. Em 55, a cobrança do ITBI gerou menos de R$ 5 mil aos cofres da prefeitura. Em 114 cidades, a arrecadação ficou até 30% abaixo da previsão orçamentária.

Três prefeituras tiveram receita zero com esses dois impostos e casos em que o valor foi de R$ 1.

Os dados foram repassados pelas próprias prefeituras ao TCE-MG.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247