Em plano de saúde empresarial, coparticipação pode custar mais e ir a 60%

A Agência Nacional de Saúde Suplementar divulgou novas regras para os planos de saúde, que poderão cobrar um adicional de 40% de coparticipação em procedimentos, como exames e tratamentos; mas o valor pode ser maior para planos de saúde pagos pela empresa onde você trabalha: a coparticipação nesse caso chega a 60%

Em plano de saúde empresarial, coparticipação pode custar mais e ir a 60%
Em plano de saúde empresarial, coparticipação pode custar mais e ir a 60%

247 - A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou novas regras para os planos de saúde, que poderão cobrar um adicional de 40% de coparticipação em procedimentos, como exames e tratamentos. Mas o valor pode ser maior para planos de saúde pagos pela empresa onde você trabalha: a coparticipação nesse caso chega a 60%. O limite mensal e o anual também podem ser maiores, contanto que seja aprovado em acordo com sindicato, segundo relato do Uol.

Coparticipação é pagar, além da mensalidade do plano de saúde, uma parte do preço da consulta, do exame ou do procedimento. A franquia é um valor estabelecido em contrato - neste caso, a operadora do plano de saúde não se responsabiliza. Também é um valor a mais, fora da mensalidade.

A ANS determinou que o beneficiário nunca poderá pagar mais do que o equivalente a uma mensalidade por mês ou 12 mensalidades por ano, seja com as coparticipações ou em franquias, mas o percentual pode chegar a 50% no caso dos planos empresariais, ou seja, o cidadão paga até uma mensalidade e meia por mês ou 18 mensalidades por ano.

Por exemplo, se a mensalidade do plano é de R$ 300, o limite de pagamento de coparticipação ou franquia será de uma vez e meia esse valor (R$ 450), e não apenas uma vez (R$ 300), como na regra geral. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247