Emicida é preso e 300 famílias são desocupadas com violência em BH

Polícia para quem precisa? Cantor rapper, que há anos canta suas letras fortes em todo o país, é detido na capital mineira por desacato à autoridade. Na comunidade Eliana Silva, 300 famílias pobres são desocupadas com uso da violência

Emicida é preso e 300 famílias são desocupadas com violência em BH
Emicida é preso e 300 famílias são desocupadas com violência em BH (Foto: DIVULGAÇÃO)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - Dois fatos neste fim de semana provocam polêmica e trazem de volta o debate sobre o uso exagerado da violência pela polícia. O caso mais comentado, por envolver uma figura pública, é a prisão do rapper Emicida. Ele foi detido no domingo à noite por “desacato à autoridade”.

Antes da música “Dedo na Ferida”, que o cantor sempre apresenta em seus shows pelo país, Emicida fez a seguinte afirmação para o público do Festival Palco Hip Hop, que acontecia no bairro Barreiro, em Belo Horizonte:

“Antes de mais nada, somos todos Eliana Silva, certo? Levanta o seu dedo do meio para a polícia que desocupa as famílias mais humildes, levanta o seu dedo do meio para os políticos que não respeitam a população e vem com ‘noiz’ nessa aqui, ó. Mandando todos eles se fuder, certo, BH? A rua é noiz.”

Os policiais que estavam no local consideraram o tom ofensivo a ponto de justificar a prisão do rapper. Emicida fazia referência à desocupação da comunidade Eliana Silva, no Barreiro de Baixo, também em BH. Na sexta-feira, 300 famílias foram desocupadas pela polícia, que destruiu cerca de 80 barracos no local. Há acusações de excesso de violência. Segundo Frei Gilvander, da Pastoral da Terra, três pessoas foram agredidas, entre elas uma professora da UFMG que tentava intermediar a negociação. A desocupação foi feita por 400 policiais - mais de um por família que morava na Eliana Silva.

Na prisão de Emicida, o Boletim de Ocorrência registra frases diferentes da vista no vídeo em que o cantor apresenta a música “Dedo na Ferida”. A alegação dos policiais é a de que ele teria dito a seguinte frase: "Eu apóio a invasão do terreno Eliana Silva, região do Barreiro, tem que invadir mesmo, levantem o dedo do meio para cima, direcione aos policiais, pois todos esses tem que se fuder". O rapper nega que tenha se dirigido aos policiais militares que trabalhavam no evento.

A ação policial gerou muita polêmica na internet e nas redes sociais, principalmente entre os mineiros. Confira algumas:

Sobre a prisão de Emicida, no Facebook

- “Todo camburão tem um pouco de navio negreiro…”

- “Chego em Belo Horizonte e tenho a notícia que o Emicida foi preso na capital por usar o seu direito de liberdade de expressão. E que a tradicional festa do Clube Atlético Mineiro pela vitória terminou mais cedo porque a polícia disparou spray de pimenta pra todo lado dispersando a multidão”

- “Que PAPELÃO, hein, PMMG?!?!?! fazendo ocorrência truncada pra levar o Emicida”

- “Brasileiro gosta muito de dizer que vive em um país livre, mesmo depois do Emicida ser preso em BH por cantar uma música de protesto pra PM…”

Sobre a desocupação da comunidade Eliana Silva, no Facebook:

- “Somos todos Eliana Silva, Dandara, Pinheirinho, Irmã Dorothy, Camilo Torres... !!!”

- “Ê, Judiciário mineiro...  Enquanto isso, as ruas da zona sul ganham nova camada de asfalto”

- “Vergonha nacional! Que feio, sr. Lacerda. Dignidade para a população de BH, urgente!”

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247