Empresa de consultoria de risco põe Alckmin fora do 2º turno

Análise da empresa de consultoria de risco político Eurasia - uma das maiores e mais influentes do mundo -, diz que o tempo de TV não será suficiente para que o presidenciável Geraldo  Alckmin (PSDB) chegue ao 2º turno da eleição presidencial; aposta é que Jair Bolsonaro (PSL) tem 60% de chances e, caso Lula seja impedido de participar do pleito, o seu vice, Fernando Haddad (PT), também tem 60% de estar no 2º turno

Empresa de consultoria de risco põe Alckmin fora do 2º turno
Empresa de consultoria de risco põe Alckmin fora do 2º turno (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

SP 247 – Apesar de ser o preferido do mercado, a realidade se impõe sobre vontade e desejo. Análise da empresa de consultoria de risco político Eurasia - uma das maiores e mais influentes do mundo - avalia que o tempo de TV não será suficiente para que o presidenciável tucano Geraldo Alckmin (PSDB) alcance o segundo turno na eleição deste ano.

O analista político Silvio Cascione disse, em entrevista à Bloomberg, - de acordo com reportagem de Lara Rizério, no Infomoney  - que, embora o mais importante trunfo de Alckmin seja o maior tempo de propaganda eleitoral – que começa nesta sexta-feira (31), a probabilidade maior é que a disputa aconteça entre  Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), candidato a vice e provável substituto de Luiz Inácio Lula da Silva na campanha eleitoral caso este venha ser impedido de disputar o pleito pela Justiça eleitoral, passem para a próxima etapa. Para ele, as chances disso acontecer são de 60%.

"A TV não é suficiente para Alckmin ir para o segundo turno", disse Cascione. Para ele, Bolsonaro e Haddad têm 60% de chances de chegarem a etapa final da disputa.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247