Empresas de ônibus não participarão de licitação

A Associação dos Transportadores de Passageiros (AT) confirmou que os consórcios STS, Unibus e Conorto, atuantes no transporte público de Porto Alegre, estão fora da licitação do sistema; de acordo com o gerente-executivo da associação, Luiz Mário Magalhães Sá, faltam dados no edital que permitam a formulação de uma proposta no processo licitatório; a entidade afirma, também, que o edital é inviável economicamente; secretaria de Mobilidade contesta

A Associação dos Transportadores de Passageiros (AT) confirmou que os consórcios STS, Unibus e Conorto, atuantes no transporte público de Porto Alegre, estão fora da licitação do sistema; de acordo com o gerente-executivo da associação, Luiz Mário Magalhães Sá, faltam dados no edital que permitam a formulação de uma proposta no processo licitatório; a entidade afirma, também, que o edital é inviável economicamente; secretaria de Mobilidade contesta
A Associação dos Transportadores de Passageiros (AT) confirmou que os consórcios STS, Unibus e Conorto, atuantes no transporte público de Porto Alegre, estão fora da licitação do sistema; de acordo com o gerente-executivo da associação, Luiz Mário Magalhães Sá, faltam dados no edital que permitam a formulação de uma proposta no processo licitatório; a entidade afirma, também, que o edital é inviável economicamente; secretaria de Mobilidade contesta (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 – A Associação dos Transportadores de Passageiros (AT) confirmou, nesta quinta-feira (20), que os consórcios STS, Unibus e Conorto, atuantes no transporte público de Porto Alegre, estão fora da licitação do sistema. De acordo com o gerente-executivo da associação, Luiz Mário Magalhães Sá, faltam dados no edital que permitam a formulação de uma proposta no processo licitatório. A entidade afirma, também, que o edital é inviável economicamente.

"Enviamos uma série de questionamentos que só foram respondidos na quarta-feira à noite. As empresas não farão nenhuma proposta. Se alguma outra empresa se apresentar e ganhar, Porto Alegre corre o risco de ver ali na frente a deterioração do sistema de transporte público", disse Magalhães. As informações são do jornal Zero Hora.

Nesta semana, a ATP tentou suspender no Tribunal de Contas do Estado (TCE) a concorrência, a primeira em 40 anos na capital gaúcha. No entanto, o Ministério Público de Contas (MPC) entrou com um pedido de suspensão do julgamento. O órgão analisará o caso, permitindo que licitação siga normalmente na segunda-feira (24).

O secretário de Mobilidade de Porto Alegre, Vanderlei Cappellari, rebateu as críticas de Magalhães. O dirigente questiona o porquê de a ATP não ter se manifestado de maneira antecipada. Para Cappellari, a intenção da ATP é barrar o processo licitatório. "É uma decisão estratégica. Eles não querem se legalizar, eles não querem participar de licitação", acrescentou.

Veja aqui alguns detalhes da licitação.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247