Empresas vão investir mais do que suas obrigações em aeroportos

Terminal Juscelino Kubitschek, de Brasília, tinha previsão inicial de capacidade para dois milhões de passageiros até 2014, ano da Copa, mas deverá suportar até oito milhões

Empresas vão investir mais do que suas obrigações em aeroportos
Empresas vão investir mais do que suas obrigações em aeroportos (Foto: Divulgação/Infraero)

Agência Brasil – O ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, disse nesta quarta-feira 1º que as concessionárias dos aeroportos que foram leiloados recentemente vão investir mais do que suas obrigações contratuais até a Copa do Mundo de 2014.

Segundo ele, no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, o terminal era para mais dois milhões de passageiros, mas será para oito milhões.

A empresa responsável pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) deveria construir um terminal novo para sete milhões de passageiros, mas está projetando, para o segundo semestre, ampliar a capacidade para 12 milhões de passageiros.

Em Viracopos (Campinas), a obrigação era a de construir um terminal para 5,5 milhões de passageiros até a Copa, mas a capacidade será 14 milhões.

"Todos eles estão investindo mais que a sua obrigação no caderno de encargos. Eles vão cumprir o prazo necessário para poder funcionar na Copa do Mundo e estão fazendo investimentos de curto prazo de melhorias, que serão sentidas nos próximos meses pela população", disse o ministro, durante audiência pública da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados.

Bittencourt também informou que, com os recursos arrecadados com a concessão de aeroportos à iniciativa privada, o valor do Fundo Nacional de Aviação Civil vai passar de R$ 200 milhões neste ano para R$ 2,6 bilhões no ano que vem. "Com isso, teremos recursos e condições para desenvolver um programa grande e agressivo para não só melhorar a qualidade de grandes aeroportos como para aeroportos regionais".

O ministro destacou o crescimento do setor, lembrando que, atualmente, mais pessoas viajam de avião do que de ônibus. "Cresce não só numero de passageiros, mas a quantidade de voos, o que demonstra investimentos das empresas aéreas", disse. Segundo ele, o valor médio das tarifas e os índices de atrasos tiveram redução nos últimos anos.

Ele voltou a dizer que o governo ainda não tem uma decisão sobre a possibilidade de novas concessões de aeroportos, nem sobre o modelo que poderá ser adotado. "Estamos discutindo, mas não temos nenhuma decisão ainda. Essa é uma decisão de governo".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247