Estado investirá R$ 30 milhões contra tubarões

O Governo de Pernambuco anunciou um investimento de R$ 30 milhões para transformar parte do litoral pernambucano em uma Área de Preservação Ambiental (APA); o trecho compreendido pelo projeto - que engloba o espaço entre as praias de Igarassu e Ipojuca, passando também por outros municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR) - abrigará locais de preservação da fauna e flora oceânica, estimulando a criação de cadeias alimentares próprias para os tubarões; as obras devem ser iniciadas ainda no começo de 2014, com recursos do fundo de compensação ambiental das empresas do Complexo Portuário de Suape e da Refinaria Abreu e Lima

Estado investirá R$ 30 milhões contra tubarões
Estado investirá R$ 30 milhões contra tubarões
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O Governo de Pernambuco anunciou um investimento de R$ 30 milhões para transformar parte do litoral pernambucano em uma Área de Preservação Ambiental (APA). As obras, previstas para durarem quatro anos, devem ser iniciadas ainda no começo de 2014, com recursos provenientes de fundos de compensação ambiental das empresas do Complexo Portuário de Suape e da Refinaria Abreu e Lima. O empreendimento, que visa neutralizar os ataques de tubarões registrados no litoral do Estado, gera discussão antes mesmo de ser implantado, a partir da contestação de eficácia do projeto em conseguir evitar os incidentes relacionados aos animais.

No trecho compreendido pelo projeto - que engloba o espaço entre as praias de Igarassu e Ipojuca, passando também por outros municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR) - devem ser construídos arrecifes artificiais e implantadas unidades de conservação total do ambiente marinho. O espaço abrigará locais de preservação da fauna e flora oceânica, estimulando a criação de cadeias alimentares próprias para os tubarões, além de transformar locais afastados do litoral em lugares próprios para alimentação dos animais.

Além disso, o Parque de Naufrágios do Estado, que conta com cerca de 20 embarcações afundadas, deverá passar por um processo de ampliação, se transformando em uma atração turística. Para aumentar o número das embarcações afundadas, o governo do Estado estuda afundar aviões que não estão mais operando, transformando as aeronaves afundadas em arrecifes artificiais para as criaturas marinhas.

Por outro lado, integrantes do Comitê de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit) afirmam que o projeto não seria suficiente para neutralizar os ataques de tubarões que ocorrem no litoral pernambucano. A justificativa estaria no fato de que as investidas dos animais não serem realizadas por fome e  o aumento da cadeia alimentar no trecho previsto não teria relação de causa e efeito com os acidentes registrados em Pernambuco desde 1990.

Desde que o monitoramento de incidentes com tubarões começou a ser realizado, há 24 anos, foram 59 ataques registrados, sendo 31 contra surfistas e 28 a banhistas. Destes, 24 foram fatais. O caso mais recente é o da estudante paulista Bruna Gobbi, que faleceu em decorrência dos ferimentos causados por uma mordida de tubarão, em junho de 2013.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247