Estaleiro Atlântico Sul promove novas demissões

Os reflexos da crise no setor naval deflagrados após os desdobramentos da Operação Lava Jato alcançaram novamente, nesta segunda (22) e terça-feira (23), os trabalhadores do Estaleiro Atlântico Sul (EAS); de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Pernambuco (Sindmetal-PE) desde o início do ano, o EAS teria demitido cerca de 2 mil profissionais; outros 350 funcionários podem ser demitidos ainda esta semana, segundo a categoria

CABO DE SANTO AGOSTINHO,PE, BRASIL - 20.09.2012 : Vítimas de danos ambientais e sociais supostamente causados pela instalação de em´presas no complexo portuário // Vista aérea do Estaleiro Atlantico Sul, em primeiro plano a praia de Suape - obras constant
CABO DE SANTO AGOSTINHO,PE, BRASIL - 20.09.2012 : Vítimas de danos ambientais e sociais supostamente causados pela instalação de em´presas no complexo portuário // Vista aérea do Estaleiro Atlantico Sul, em primeiro plano a praia de Suape - obras constant (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Os reflexos da crise no setor naval deflagrados após os desdobramentos da Operação Lava Jato alcançaram novamente, nesta segunda (22) e terça-feira (23), os trabalhadores do Estaleiro Atlântico Sul (EAS). De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Pernambuco (Sindmetal-PE) desde o início do ano, o EAS teria demitido cerca de 2 mil profissionais. A categoria teme ainda que nesta semana outros 350 contratos possam ser encerrados, ampliando o ciclo de demissões.

Os cortes com pessoal foram adotados após a perda do contrato de US$ 6 bilhões que a empresa possuía junto à Sete Brasil, que foi criada para fornecer navios-sonda à Petrobras para atuação na área do pré-sal. A Sete Brasil é investigada na Operação Lava Jato e os problemas enfrentados pela companhia se refletem em praticamente todos os estaleiros nacionais.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247