Estudantes fecham rodovia estadual

A rodovia estadual AL-487 está interditada por estudantes da escola estadual Profª Maria Avelina do Carmo, que fica em Traipu; eles interromperam o tráfego na via protestando contra a falta de transportes escolares da zona rural do município, falta de professores e atraso nas obras da Quadra Poliesportiva; a escola possui cerca de 600 alunos matriculados; 50% dos estudantes moram na zona rural e precisam de transporte para se deslocar todos os dias

A rodovia estadual AL-487 está interditada por estudantes da escola estadual Profª Maria Avelina do Carmo, que fica em Traipu; eles interromperam o tráfego na via protestando contra a falta de transportes escolares da zona rural do município, falta de professores e atraso nas obras da Quadra Poliesportiva; a escola possui cerca de 600 alunos matriculados; 50% dos estudantes moram na zona rural e precisam de transporte para se deslocar todos os dias
A rodovia estadual AL-487 está interditada por estudantes da escola estadual Profª Maria Avelina do Carmo, que fica em Traipu; eles interromperam o tráfego na via protestando contra a falta de transportes escolares da zona rural do município, falta de professores e atraso nas obras da Quadra Poliesportiva; a escola possui cerca de 600 alunos matriculados; 50% dos estudantes moram na zona rural e precisam de transporte para se deslocar todos os dias (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - Os alunos da escola estadual Profª Maria Avelina do Carmo, localizada na cidade de Traipu, fecharam um trecho da rodovia AL-487, na manhã desta quarta-feira (11). Cerca de 300 estudantes queimaram pneus e interromperam o tráfego na via protestando contra a falta de transportes escolares da zona rural do município, falta de professores na instituição e atraso nas obras da Quadra Poliesportiva da escola. 

Os condutores que trafegavam na rodovia no momento do protesto precisaram ter paciência, já que a pista foi bloqueada em ambos os sentidos e o tráfego de veículos ficou totalmente interditado. 

Um conselheiro tutelar da cidade, que prefere não ser identificado, afirma que a escola possui cerca de 600 alunos matriculados. Desse número, cerca de 50% dos estudantes moram na zona rural e precisam de transporte para se deslocar todos os dias para a unidade escolar. 

Ele ainda ressalta que quatro disciplinas estão sem professores, dentre elas Biologia e Matemática. "É uma situação caótica e de muita complexidade. Isso também acontece em outros municípios alagoanos, mas os estudantes de Traipu resolveram não se calar e enfrentar o problema", reforçou.

O conselheiro ainda reforça que a quadra destinada para a prática de atividades esportivas foi interditada na última semana para reforma estrutural, mas que as obras não vão acontecer porque o município não possui recursos para a reforma. 
 
Os estudantes explicam que, após o meio-dia, liberarão a pista e seguirão para a Praça José Palmeira Lima, situada no centro de Traipu, onde permanecem protestando. 

José Wagner, aluno do 3º ano do Ensino Médio, explica que os alunos não têm condições financeiras de arcar com os custos diários para se deslocarem todos os dias. "Os alunos não podem pagar todos os dias pelo transporte. O valor é muito alto. Tá muito complicado", encerrou.

 Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247