CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Ex-presidente do PSDB diz que 'puxaram o tapete' de Machado

O ex-presidente do PSDB, Roberto Gois, afirmou que uma reunião da executiva do partido, realizada há cerca de um mês, havia definido que Machado seria o novo presidente da sigla, mas houve uma determinação da direção nacional de que o senador Eduardo Amorim iria indicar o nome para o posto; para ele, houve uma “falta de sensibilidade” de Amorim; “Ele poderia ter conversado com Machado e com todos nós, sem problemas. Quando o senador Aécio Neves avisou que iria convidar Eduardo Amorim, dissemos que a porta estava aberta, então achei que essa puxada de tapete não foi merecida, até porque Machado foi um baluarte na campanha deles”, disse

Imagem Thumbnail
O ex-presidente do PSDB, Roberto Gois, afirmou que uma reunião da executiva do partido, realizada há cerca de um mês, havia definido que Machado seria o novo presidente da sigla, mas houve uma determinação da direção nacional de que o senador Eduardo Amorim iria indicar o nome para o posto; para ele, houve uma “falta de sensibilidade” de Amorim; “Ele poderia ter conversado com Machado e com todos nós, sem problemas. Quando o senador Aécio Neves avisou que iria convidar Eduardo Amorim, dissemos que a porta estava aberta, então achei que essa puxada de tapete não foi merecida, até porque Machado foi um baluarte na campanha deles”, disse (Foto: Gisele Federicce)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Max Augusto, do Jornal da Cidade - Em entrevista concedida ontem com exclusividade ao JORNAL DA CIDADE, o ex-presidente do PSDB, Roberto Gois, afirmou que “puxaram o tapete” do vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado. Segundo Gois, uma reunião da executiva do partido, realizada há cerca de um mês, havia definido que Machado seria o novo presidente da sigla, mas houve uma determinação da direção nacional de que o senador Eduardo Amorim iria indicar o nome para o posto.

Gois explicou que seu mandato já havia sido concluído no dia 14 de junho, sendo que antes disso os sete membros da executiva, após reunião, haviam definido que Machado passaria a comandar os tucanos em Sergipe.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Um mês antes de acabar o meu mandato reunimos a executiva e pedimos uma sugestão para quem seria o próximo presidente. E ficou para José Carlos Machado ser o próximo presidente, até que na semana passada ele esteve em Brasília, onde encontrou com o senador Cássio Cunha Lima, que o informou: o PSDB passará a ser comandado pelo senador Eduardo Amorim”, disse Roberto.

Para ele, houve uma “falta de sensibilidade” do senador Eduardo Amorim. “Ele poderia ter conversado com Machado e com todos nós, sem problemas. Quando o senador Aécio Neves avisou que iria convidar Eduardo Amorim, dissemos que a porta estava aberta, então achei que essa puxada de tapete não foi merecida, até porque Machado foi um baluarte na campanha desses. Fiquei chateado com quem fez isso e com a nacional”, reclamou o ex-presidente.

Debandada
Os dirigentes do partido em Sergipe se reuniram no último domingo e agendaram uma reunião para a próxima quinta-feira, quando definirão seus destinos no partido. Existe a possibilidade de uma debandada, com todos os quatro prefeitos do partido e algumas lideranças deixando a sigla.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Não está nada definido, mas na reunião iremos avaliar, decidir se sai todo mundo ou se permanecemos. Até o momento o ex-governador Albano Franco, os prefeitos de Lagarto, Itaporanga, Itabaianinha, Santa Luzia, a vice-prefeita de Itabaiana, todos entraram em contato e estão solidários com Machado. Vamos anunciar na próxima quinta-feira, pedi que todos esperassem para anunciar uma decisão conjunta”, falou Gois”, confirmando que pode haver uma debandada e que há sinais de insatisfação.

Ele alertou que vereadores podem não sair do partido, por conta da legislação eleitoral, mas ressaltou que até isso está sendo avaliado, pois já foi feita uma consulta ao setor jurídico.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Roberto Gois também falou que o novo comando do partido não entrou em contato com ele nem com ninguém da antiga direção. “Estou como cavalheiro, aqui no partido, para esperar o novo presidente e entregar tudo. Não posso assinar mais nada”, concluiu, ressaltando que o pedido de mudança na direção foi feito pelos irmãos Amorim, segundo garantiu o senador Cássio Cunha Lima”, em conversa com o vice-prefeito Machado.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO