Facebook vai introduzir controles de privacidade após escândalo envolvendo Cambridge Analytica

Antes da entrada em vigor de uma lei de proteção de dados da União Europeia em maio, a rede social adicionará um novo menu “Atalhos de privacidade” que permitirá que os usuários revisem e excluam o que foi compartilhado, além de recursos que permitem baixar os dados e movê-los para outro serviço.

Facebook vai introduzir controles de privacidade após escândalo envolvendo Cambridge Analytica
Facebook vai introduzir controles de privacidade após escândalo envolvendo Cambridge Analytica
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - O Facebook, envolvido em um enorme escândalo de dados que reduziu em mais de 100 bilhões de dólares seu valor de mercado, anunciou na quarta-feira uma série de mudanças que está promovendo para dar aos usuários mais controle sobre a privacidade de seus dados.

Antes da entrada em vigor de uma lei de proteção de dados da União Europeia em maio, a rede social adicionará um novo menu “Atalhos de privacidade” que permitirá que os usuários revisem e excluam o que foi compartilhado, além de recursos que permitem baixar os dados e movê-los para outro serviço.

“A semana passada mostrou o quanto ainda precisamos fazer para aplicar nossas políticas e ajudar as pessoas a entender como o Facebook funciona e as escolhas que elas têm sobre seus dados”, afirmaram a vice-presidente e diretora de Privacidade, Erin Egan, e Ashlie Beringer, vice-presidente e vice-conselheira geral do Facebook, em um post no blog.

“Então, além dos anúncios de Mark na semana passada - reprimir o abuso da plataforma do Facebook, fortalecer nossas políticas e tornar mais fácil para as pessoas revogarem a capacidade dos aplicativos de usar seus dados - estamos dando mais passos nas próximas semanas para dar às pessoas mais controle sobre sua privacidade.”

Por Julia Fioretti

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247