CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Falsa médica é presa no Hospital Geral

A Polícia Civil de Alagoas prendeu, dentro do Hospital Geral do Estado (HGE), após equipes da unidade hospitalar desconfiarem, uma mulher que estava se apresentando como médica; em depoimento, a suspeita disse ser estudante de psicologia e que já havia estagiado na Central de Transplantes do HGE, razão pela qual teria trânsito livre dentro do HGE

Imagem Thumbnail
A Polícia Civil de Alagoas prendeu, dentro do Hospital Geral do Estado (HGE), após equipes da unidade hospitalar desconfiarem, uma mulher que estava se apresentando como médica; em depoimento, a suspeita disse ser estudante de psicologia e que já havia estagiado na Central de Transplantes do HGE, razão pela qual teria trânsito livre dentro do HGE (Foto: Voney Malta)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Alagoas247 - A Polícia Civil prendeu, no início da tarde desta quinta-feira, dentro do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, uma mulher suspeita de se passar por médica na unidade de saúde. As equipes da unidade hospitalar desconfiaram da atitude da mulher e acionaram a polícia. Identificada apenas como Valquíria, ela foi detida e encaminhada para a base da Operação Litorânea Integrada (Oplit), no bairro Ponta Verde.

Em depoimento, Valquíria disse ser estudante de psicologia, relatando que já estagiou na Central de Transplantes do HGE, razão pela qual teria trânsito livre dentro da unidade hospitalar. “Eu estava ajudando uma senhora cujo pai tem problemas renais. Ela veio comigo como minha testemunha para confirmar a minha história”, disse a suspeita em entrevista à Gazetaweb

Uma enfermeira do HGE também foi conduzida pelos policiais como testemunha no caso. Em depoimento, Mariana Queiroz, informou que a suspeita utilizava um jaleco da Assistência Social e ao ser abordada pelos funcionários do hospital, ela se identificava como neurologista. 

Ainda de acordo com Mariana, uma estagiária se queixou à suposta médica de que estava sofrendo com enxaquecas e que Valquíria havia prescrito um remédio, mas em um papel comum e não em uma receita médica.

Após prestar esclarecimentos, policiais da Oplit lavraram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), com Valquíria sendo liberada em seguida.

De acordo com a assessoria do HGE, a suspeita teve acesso ao interior da unidade ao afirmar para os seguranças da unidade que era médica e que queria visitar um parente, o que chamou a atenção dos profissionais da saúde. 

Quando questionada sobre o que estaria fazendo no hospital, ainda segundo a assessoria, os funcionários do HGE tiveram a certeza de que ela não era médica. Após levantamento, a unidade de saúde revelou também que nenhum paciente - como informado pela suposta médica - teria parentesco com a suspeita. 

A assessoria disse, ainda, que foi um policial de plantão no posto do HGE quem deteve a suspeita. Segundo funcionários do HGE, esta não é a primeira vez que a mulher tenta se passar por médica, pois, ela já teria agido da mesma forma para ter acesso ao Hospital Universitário, no bairro Cidade Universitária.

Com agzetaweb.com

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO