Falta de recursos atrasa obra da Via Mangue

Alvo de uma polêmica quanto a sua paternidade por ocasião da sua inauguração, a Via Mangue, uma das principais obras viárias do Recife, sofreu um novo atraso; a primeira parte da pista no sentido subúrbio-cidade deverão ter sido aberta ao tráfego de veículos nesta segunda-feira (1) mas o prazo foi esticado, sem data certa para ser entregue à população, em função da falta de R$ 26 milhões necessários à conclusão total da contrapartida de e R$ 81 milhões de responsabilidade da Prefeitura do Recife

Alvo de uma polêmica quanto a sua paternidade por ocasião da sua inauguração, a Via Mangue, uma das principais obras viárias do Recife, sofreu um novo atraso; a primeira parte da pista no sentido subúrbio-cidade deverão ter sido aberta ao tráfego de veículos nesta segunda-feira (1) mas o prazo foi esticado, sem data certa para ser entregue à população, em função da falta de R$ 26 milhões necessários à conclusão total da contrapartida de e R$ 81 milhões de responsabilidade da Prefeitura do Recife
Alvo de uma polêmica quanto a sua paternidade por ocasião da sua inauguração, a Via Mangue, uma das principais obras viárias do Recife, sofreu um novo atraso; a primeira parte da pista no sentido subúrbio-cidade deverão ter sido aberta ao tráfego de veículos nesta segunda-feira (1) mas o prazo foi esticado, sem data certa para ser entregue à população, em função da falta de R$ 26 milhões necessários à conclusão total da contrapartida de e R$ 81 milhões de responsabilidade da Prefeitura do Recife (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Alvo de uma polêmica quanto a sua paternidade por ocasião da sua inauguração, a Via Mangue, uma das principais obras viárias do Recife, sofreu um novo atraso. A primeira parte da pista no sentido subúrbio-cidade deverão ter sido aberta ao tráfego de veículos nesta segunda-feira (1) mas o prazo foi esticado, sem data certa para ser entregue à população, em função da falta de R$ 26 milhões necessários à conclusão total da contrapartida de e R$ 81 milhões de responsabilidade da Prefeitura do Recife.

"Estamos buscando um novo empréstimo desde maio junto à Caixa Econômica Federal (CEF) e ainda não tivemos definição. Acreditamos que, em uma ou duas semanas, isso será resolvido. Não conseguimos cumprir o prazo da terceira fase, mas mantemos o mês de dezembro como data final para conclusão da Via Mangue", disse o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos do Recife, Victor Vieira, em entrevista ao Jornal do Commercio.

A Via Mangue é apontada como uma das principais obras viárias da capital pernambucana e tem como objetivo desafogar o trânsito da Zona Sul. Até o momento, o projeto já consumiu investimentos de R$ 431 milhões. Deste total, R$ 331 milhões vieram de empréstimos federais e outros R$ 19 milhões foram repassados diretamente pela União, além dos recursos originários da contrapartida municipal.

Em junho, quando a primeira etapa foi inaugurada, PT e PSB trocaram farpas pela paternidade do projeto, o que quase levou a presidente Dilma Rousseff (PT) a cancelar sua visita ao Estado. Enquanto o PT acusava o PSB de querer esconder a participação federa no projeto, o PSB afirmava que os recursos empregados não tinham "dono", "eram do povo".

Atualmente, 31 mil veículos utilizam o trecho liberado da Via Mangue. Este fluxo melhorou o trânsito na Avenida Domingos Ferreira, um dos principais corredores da Zona Sul do Recife, que recebia 57 mil carros diariamente. Com um fluxo menor, a velocidade média aumentou e os ônibus aumentaram a sua velocidade em 50% com a implantação da Faixa Azul, um corredor exclusivo para o transporte coletivo.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247