Felipe Parente: o carregador de malas de Machado

Felipe Parente, que trabalhou na campanha do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado ao governo do Ceará, em 2002, foi o responsável pela maioria das entregas de dinheiro em espécie para políticos do PMDB, entre eles Renan Calheiros, José Sarney e Roméro Jucá; “Os políticos diziam ao depoente o nome e o contato dos prepostos que receberiam os valores ilícitos e o depoente repassava essa informação a Felipe Parente”, registram os procuradores da Lava Jato

RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 12-07-2011: O presidente da Transpetro, Sergio Machado. (Foto: Marcos Michael)
RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 12-07-2011: O presidente da Transpetro, Sergio Machado. (Foto: Marcos Michael) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma das peças centrais do esquema delatado por Sérgio Machado, ex-Traspetro, e seus filhos é Felipe Parente, o carregador de malas de dinheiro do delator até 2008.

Parente, que trabalhou na campanha de Machado ao governo do Ceará, em 2002, foi o responsável pela maioria das entregas de dinheiro em espécie para políticos do PMDB, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiro (AL), o ex-presidente da República José Sarney (AP) e o senador e ex-ministro Romero Jucá (RR).

“Instruía Felipe Parente sobre o valor a recolher em cada empresa e o valor a entregar a cada político”, explicou Machado. “Os políticos diziam ao depoente o nome e o contato dos prepostos que receberiam os valores ilícitos e o depoente repassava essa informação a Felipe Parente”, registram os procuradores da Lava Jato.

Leia aqui na reportagem de Fausto Macedo de Julia Affonso.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247