Felipe Parente: o carregador de malas de Machado

Felipe Parente, que trabalhou na campanha do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado ao governo do Ceará, em 2002, foi o responsável pela maioria das entregas de dinheiro em espécie para políticos do PMDB, entre eles Renan Calheiros, José Sarney e Roméro Jucá; “Os políticos diziam ao depoente o nome e o contato dos prepostos que receberiam os valores ilícitos e o depoente repassava essa informação a Felipe Parente”, registram os procuradores da Lava Jato

RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 12-07-2011: O presidente da Transpetro, Sergio Machado. (Foto: Marcos Michael)
RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 12-07-2011: O presidente da Transpetro, Sergio Machado. (Foto: Marcos Michael) (Foto: Roberta Namour)

247 - Uma das peças centrais do esquema delatado por Sérgio Machado, ex-Traspetro, e seus filhos é Felipe Parente, o carregador de malas de dinheiro do delator até 2008.

Parente, que trabalhou na campanha de Machado ao governo do Ceará, em 2002, foi o responsável pela maioria das entregas de dinheiro em espécie para políticos do PMDB, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiro (AL), o ex-presidente da República José Sarney (AP) e o senador e ex-ministro Romero Jucá (RR).

“Instruía Felipe Parente sobre o valor a recolher em cada empresa e o valor a entregar a cada político”, explicou Machado. “Os políticos diziam ao depoente o nome e o contato dos prepostos que receberiam os valores ilícitos e o depoente repassava essa informação a Felipe Parente”, registram os procuradores da Lava Jato.

Leia aqui na reportagem de Fausto Macedo de Julia Affonso.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247