Fernando Morais aprova Corações Sujos

"Vicente Amorim conseguiu fazer um filme suave sem tirar a carga de violência", declarou o escritor; filme é baseado em uma história real e fala sobre perseguição a imigrantes que não acreditavam na derrota do Japão na 2ª Guerra

Fernando Morais aprova Corações Sujos
Fernando Morais aprova Corações Sujos (Foto: Edição/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247- O cineasta Vicente Amorim desafiou-se a adaptar para o cinema Corações Sujos, uma das principais obras do escritor Fernando Morais e vencedor do Prêmio Jabuti 2001, na categoria  livro-reportagem. Pode-se dizer que Amorim superou o desafio. Isso porque ele conseguiu a proeza de agradar o autor do livro, algo raro, já que adaptações de livros para o cinema costumam empobrecer a narrativa.

"Jorge Amado costumava dizer que toda adaptação é uma violência contra o autor. E costumava aconselhar os autores: 'se você não quer aporrinhação, não assista'. E eu lamento que nesse caso Jorge Amado tenha errado. Primeiro, porque não me aporrinhei, pelo contrário, me emocionei, adorei. Acho que [Vicente] conseguiu fazer um filme suave sem tirar a carga de violência, porque é uma história de violência física, com os rituais de morte. A violência não desapareceu, mas não é uma história de Tarantino. Acho que eles conseguiram um milagre", declarou Morais ao G1 durante coletiva do filme, realizada no Rio de Janeiro.

A trama é inspirada numa história real e fala sobre perseguição a imigrantes que não acreditavam na derrota do Japão na 2ª Guerra. O longa se passa no interior de São Paulo e conta a história do imigrante japonês Takahashi, que é dono de  uma pequena loja de fotografia, ele é casado com uma professora primária. A ficção mostra a transformação de Takahashi de homem comum em assassino, envolvido em uma luta fundamentalista entre imigrantes japoneses, que criaram a organização secreta Shindo Renmei — ou Liga do Caminho dos Súditos.

No elenco, estão alguns dos melhores atores do Japão da atualidade, como: Eiji Okuda, um dos atores e diretores de cinema e teatro mais premiados do Japão; Tsuyoshi Ihara, protagonista de Cartas de Iwo Jima, de Clint Eastwood; Shun Sugata (de O Último Samurai e Kill Bill); Kimiko Yo (do filme A Partida, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2009), e ainda Takako Tokiwa, uma das maiores estrelas da TV japonesa. Entre os brasileiros, destaca-se a participação de Eduardo Moscovis.  O filme custou R$ 7,4 milhões e vai estrear, nesta sexta-feira, em 50 salas de todo o Brasil.

 

 

Com informações do Portal da Propaganda e do portal G1

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email