Fiéis pedem a expulsão de pastor que cedeu igreja para casamento gay

A igreja foi usada pelo cartório para matrimônios coletivos, sem vínculo reglioso, mas a comunidade evangélica não gostou e quer a cabeça de seu líder

Cíntia e Rafaela se casaram
Cíntia e Rafaela se casaram
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Um casamento gay realizado no dia 19 de fevereiro nas dependências da igreja Assembleia de Deus — ministério Brás, em Maceió, Alagoas, gerou crise no meio evangélico.

O pastor Jacques Balbino, titular da igreja, pressionou o 1º Cartório de Registro Civil de Maceió para que divulgasse nota.

E foi o que o cartório fez, para explicar que apenas usou o espaço para o casamento coletivo, "não tendo os referidos casamentos, nenhum vínculo religioso”.

PUBLICIDADE

O cartório também esclareceu que quando marca os casamentos no civil, não faz acepção de pessoas, tais como: gênero, raça ou religião.

A Assembleia de Deus continua sendo alvo de críticas por parte de pessoas que se dizem evangélicas.

Na rede social, uma fiel comentou:

PUBLICIDADE

’’Não dá pra acreditar que nível chegou a AD. Este pastor deve ser imediatamente expulso definitivamente da igreja, sem direito a retorno, e todos os membros que estiveram na cerimónia, serem todos submetidas a uma dura disciplina’’.

Outra postou:

‘’Tem essa de abrir mente não, é o que está escrito na bíblia e pronto… tudo nessa vida passa, mas a Palavra de Deus permanece. É errado, a igreja não concorda’’.

PUBLICIDADE

As mulheres que se casaram postaram fotos na rede social. São elas: Cíntia Maria Silva e Rafaela Tenório.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email