Fontana: seletividade judicial está chegando a uma situação vergonhosa

"É revoltante a notícia onde um membro do MP-SP desencadeia um processo de perseguição contra o candidato a vice-presidente na chapa de Lula, Fernando Haddad. No mesmo da em que anunciam o arquivamento de mais um caso contra José Serra", afirmou o deputado do PT-RS; assista ao vídeo

Fontana: seletividade judicial está chegando a uma situação vergonhosa
Fontana: seletividade judicial está chegando a uma situação vergonhosa (Foto: Cleia Viana - Câmara)

Rio Grande do Sul 247 - O deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) criticou a "seletividade e perseguição" judicial contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT e o candidato a vice na chapa presidencial do partido, Fernando Haddad, que, de acordo com o parlamentar, "estão chegando numa situação vergonhosa". O desabafo veio após o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) entrar no Judiciário com uma ação por improbidade administrativa tendo como alvo o ex-prefeito de São Paulo por suposto enriquecimento ilícito.

"É revoltante a notícia onde um membro do MP-SP desencadeia um processo de perseguição contra o candidato a vice-presidente na chapa de Lula, Fernando Haddad. No mesmo da em que anunciam o arquivamento de mais um caso contra José Serra", disse Fontana, em vídeo.

"Temer e Aécio gravados pedindo propina para Joesley Batista, receberam a propina em malas de dinheiro, em operação filmada pela Polícia Federal, neste Justiça brasileira de hoje têm todo os direito de serem candidatos a qualquer cargo público. E o (ex) presidente Lula, apesar de resolução da ONU, sem nenhum crime, sem nenhuma prova está impedido de fazer campanha, não pode fazer entrevistas", acrescentou. "Todos do PSDB são santos", ironizou.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi gravado pedindo R$ 2 milhões ao dono da JBS, Joesley Batista, para supostamente pagar advogados - o conteúdo da conversa foi divulgada na imprensa em maio do ano passado. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB. De acordo com a PF, que filmou a cena, o dinheiro foi depositado numa empresa do senador Zeze Perrella (PMDB-MG).

O tucano tratou a propina como venda de apartamento. "Foi proposta, em primeiro lugar, a venda ao executivo de um apartamento de propriedade da família", disse.

Temer foi denunciados duas vezes no ano passado, sendo uma por corrupção e outra por organização criminosa e obstrução judicial. O emedebista foi flagrado em um vídeo feito pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil em propina da JBS em uma pizzaria em São Paulo. De acordo com as investigações, destino final do dinheiro era Michel Temer, que escapou das denúncias, porque a Câmara precisaria autorizar a continuidade das investigações, o que deixaria o futuro do emedebista com os ministros do Supremo Tribunal Federal. O Legislativo vetou o prosseguimento das apurações.

Ao citar o arquivamento do inquérito de Serra, o deputado do PT-RS fez referência à decisão do da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). Trata-se dos R$ 23 milhões de propinas ao tucano após um pagamento irregular equivalente a R$ 463,8 milhões da Dersa para a Odebrecht, quando ele era governador de São Paulo, em 2009 (leia aqui).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247