Forças de segurança ocupam Casa de Custódia

A Secretaria de Justiça do Piauí deflagrou a Operação 'Habitar, para as forças de segurança ocuparem a Casa de Custódia de Teresina, com o objetivo de garantir a entrada de presos e o restabelecimento das visitas na unidade prisional; a ocupação, que ocorre desde a madrugada desta sexta-feira (15), é consequência da suspensão das atividades devido a greve dos agentes penitenciários

A Secretaria de Justiça do Piauí deflagrou a Operação 'Habitar, para as forças de segurança ocuparem a Casa de Custódia de Teresina, com o objetivo de garantir a entrada de presos e o restabelecimento das visitas na unidade prisional; a ocupação, que ocorre desde a madrugada desta sexta-feira (15), é consequência da suspensão das atividades devido a greve dos agentes penitenciários
A Secretaria de Justiça do Piauí deflagrou a Operação 'Habitar, para as forças de segurança ocuparem a Casa de Custódia de Teresina, com o objetivo de garantir a entrada de presos e o restabelecimento das visitas na unidade prisional; a ocupação, que ocorre desde a madrugada desta sexta-feira (15), é consequência da suspensão das atividades devido a greve dos agentes penitenciários (Foto: Leonardo Lucena)

Piauí 247 - A Secretaria de Justiça do Piauí deflagrou a Operação 'Habitar, para as forças de segurança ocuparem a Casa de Custódia de Teresina, com o objetivo de garantir a entrada de presos e o restabelecimento das visitas na unidade prisional. A ocupação, que ocorre desde a madrugada desta sexta-feira (15), é consequência da suspensão das atividades devido a greve dos agentes penitenciários. A categoria pede reajuste salarial e melhores condições de trabalho.

De acordo com a Secretaria da Justiça, a categoria teve aumentos salariais graças a reajustes nos subsídios e nas vantagens pessoais por classe; o valor do extraordinário para classe especial, por exemplo, passou de R$ 523,84 para R$ 778,34 – aumento de 48,5%, em dois anos.

O secretário Daniel Oliveira afirmou que "a operação foi necessária, tendo em vista a iminência de motins ou rebeliões nas nossas unidades prisionais, que estavam sem receber visitas dos familiares dos presos há quatro dias". "A ação segue o protocolo de segurança da garantia da lei e da ordem", disse. O relato é do G1.

Desde o dia 11 deste mês, agentes penitenciários se recusam a receber detentos no sistema prisional e suspenderam serviços, como transferência de presos entre presídios, visitas íntimas e de advogados, e deslocamento para audiências.

O Tribunal de Justiça (TJ-PI) determinou nesta quinta-feira (14) que pelo menos 60% dos agentes penitenciários em greve retornem ao trabalho, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247