Funcionários da Chesf paralisam as atividades

Cerca de 4 mil funcionários da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) cruzaram os braços a partir deste segunda-feira (15) em alinhamento com a paralisação nacional dos trabalhadores da Eletrobrás, que tem a companhia como uma de suas empresas; A principal reivindicação dos trabalhadores é um aumento real de 3% nos salários

Funcionários da Chesf paralisam as atividades
Funcionários da Chesf paralisam as atividades

PE247 – Cerca de 4 mil funcionários da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) cruzaram os braços a partir desta segunda-feira (15) em alinhamento com a paralisação nacional dos trabalhadores da Eletrobrás, que tem a companhia como uma de suas empresas. A categoria pede aumento salarial acima da inflação, enquanto que a Eletrobrás oferece apenas a reposição do processo inflacionário (6,49%), medido pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA). A paralisação ocorre por tempo indeterminado e vale para todas as empresas da Eletrobrás, incluindo as de geração, transmissão e distribuição.

Os trabalhadores reivindicam quatro talões de R$ 750 cada um como forma de abono e um ganho real de 3% nos salários, o que foi aprovado no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2013/2014. Além disso, a categoria não aceita a proposta da Eletrobrás, que visa garantir os direitos aos futuros funcionários apenas previstos na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Segundo os trabalhadores, esta medida reduz os direitos dos empregados que venham a trabalhar futuramente.

A categoria afirma, ainda, que a Eletrobrás apresentou a proposta de suspender o pagamento da periculosidade pelo salário base até que seja regulamentada a Lei 12740/12. E não haverá possibilidade de retroatividade. "A partir de quando eles voltarem a negociar, a gente volta a trabalhar", disse o Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco (Sindurb-PE), por meio de sua assessoria de imprensa.

Vale ressaltar que o Sindurb aderiu, na última quinta-feira (11), ao Dia Nacional de Lutas com Greves e Paralisações, que ocorreu em todo o país envolvendo diversas categorias. Na ocasião, o sindicato criticou Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV), implementado pela Eletrobrás, que objetiva reduzir o número de funcionários da Chesf para diminuir em 20% da folha de pagamento anual, que beira R$ 1 bilhão. No protesto, vários representantes do sindicato distribuíram panfletos que diziam: "Chesf: O maior patrimônio do povo nordestino está sob ameaça!".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247