Funcionários da Sabesp marcam greve para o dia 19

Centenas de trabalhadores da Sabesp aprovaram greve a partir do dia 19 de março por tempo indeterminado; de janeiro a fevereiro foram demitidos cerca de 400 trabalhadores, e em março já estão agendadas 160 homologações no sindicato; “Somos totalmente contra qualquer demissão. Os trabalhadores e a população não podem ser penalizados enquanto a Sabesp quer agradar e atender a demanda dos acionistas”, disse o presidente do Sintaema, Rene Vicente

Centenas de trabalhadores da Sabesp aprovaram greve a partir do dia 19 de março por tempo indeterminado; de janeiro a fevereiro foram demitidos cerca de 400 trabalhadores, e em março já estão agendadas 160 homologações no sindicato; “Somos totalmente contra qualquer demissão. Os trabalhadores e a população não podem ser penalizados enquanto a Sabesp quer agradar e atender a demanda dos acionistas”, disse o presidente do Sintaema, Rene Vicente
Centenas de trabalhadores da Sabesp aprovaram greve a partir do dia 19 de março por tempo indeterminado; de janeiro a fevereiro foram demitidos cerca de 400 trabalhadores, e em março já estão agendadas 160 homologações no sindicato; “Somos totalmente contra qualquer demissão. Os trabalhadores e a população não podem ser penalizados enquanto a Sabesp quer agradar e atender a demanda dos acionistas”, disse o presidente do Sintaema, Rene Vicente (Foto: Roberta Namour)

247 - Reunidos na Sede do Sintaema na noite desta terça-feira, centenas de trabalhadores da Sabesp aprovaram greve a partir do dia 19 de março por tempo indeterminado; de janeiro a fevereiro foram demitidos cerca de 400 trabalhadores, e em março já estão agendadas 160 homologações no sindicato.

‘Não podemos admitir isso, os trabalhadores são essenciais em todas as situações, e principalmente em um momento como este de crise hídrica. Somos totalmente contra qualquer demissão. Os trabalhadores e a população não podem ser penalizados enquanto a Sabesp quer agradar e atender a demanda dos acionistas”, disse o presidente do Sintaema, Rene Vicente.

No dia 18, uma nova assembleia será realizada para ratificar a decisão tomada ontem.

Além do indicativo de greve os trabalhadores aprovaram também:

-Ingresso de uma Medida Cautelar preparatória de dissídio coletivo de natureza jurídica por não concordar com as demissões;

-Autorização para ingressar com ação coletiva para o pagamento imediato e retroativo o cálculo da periculosidade sobre horas-extras;

-Participação no Ato das Centrais contra a corrupção e em defesa da Petrobras, dia 13 de março, às 16h – Av. Paulista, 901;

-Participação no Ato de Luta pela Água, dia 20 de março, 14h30, no Masp.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247