Goiânia terá 1ª ciclorrota de uso permanente e diário

Trecho, que será compartilhado com outros veículos, sairá do Centro em direção à Avenida T-63; previsão é de que os 3,8 km da rota esteja pronto para uso até o final de outubro; com ruas sinalizadas horizontal e verticalmente, de forma bastante visível, especialistas acreditam que a ciclorrota legitime a presença das bicicletas na via; "Estamos avançando e o condutor precisa aprender a compartilhar a rua, que é pública e foi feita para todos. A ciclorrota colabora com essa conscientização”, ressalta o secretário da SMT, Andrey Azeredo

Trecho, que será compartilhado com outros veículos, sairá do Centro em direção à Avenida T-63; previsão é de que os 3,8 km da rota esteja pronto para uso até o final de outubro; com ruas sinalizadas horizontal e verticalmente, de forma bastante visível, especialistas acreditam que a ciclorrota legitime a presença das bicicletas na via; "Estamos avançando e o condutor precisa aprender a compartilhar a rua, que é pública e foi feita para todos. A ciclorrota colabora com essa conscientização”, ressalta o secretário da SMT, Andrey Azeredo
Trecho, que será compartilhado com outros veículos, sairá do Centro em direção à Avenida T-63; previsão é de que os 3,8 km da rota esteja pronto para uso até o final de outubro; com ruas sinalizadas horizontal e verticalmente, de forma bastante visível, especialistas acreditam que a ciclorrota legitime a presença das bicicletas na via; "Estamos avançando e o condutor precisa aprender a compartilhar a rua, que é pública e foi feita para todos. A ciclorrota colabora com essa conscientização”, ressalta o secretário da SMT, Andrey Azeredo (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - A Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) iniciou, na última semana, a pintura de sinalização horizontal da nova via ciclável da capital: a ciclorrota. Ela é a primeira a ser implantada em Goiânia e estará disponível ao ciclista a qualquer hora do dia ou da noite. O trecho, que será compartilhado com outros veículos, sairá do Centro em direção à Avenida T-63. A previsão é de que os 3,8 km da rota esteja pronto para uso até o final de outubro. O circuito de retorno ao Centro ainda está em análise.

Ciclistas poderão sair da Praça Cívica, por meio da Avenida 85 A, conhecida como Cora Coralina, sentido Norte-Sul, passando pelas Rua 132, 1137, no Setor Marista, para acesso à Av. Ricardo Paranhos. A ciclorrota seguirá pela Av. Eugênio Jardim, continuando pela S-5 para encontro com a T-63. A via funcionará de forma permanente e será de uso diário. A exemplo de outras cidades do país e do mundo, a ciclorrota geralmente é implantada em regiões críticas, próximas de avenidas com grande carregamento viário, para que sirva de opção alternativa de trajeto. Além disso, o formato não restringe o uso do veículo, mas estimula o compartilhamento e o respeito. Com as ruas sinalizadas horizontal e verticalmente, de forma bastante visível, especialistas acreditam que a ciclorrota legitime a presença das bicicletas na via.

O projeto foi todo elaborado por engenheiros da SMT, com a colaboração de cicloativistas, e a maior preocupação é com a segurança de quem opta por pedalar. “Essa é a primeira via ciclável diária e permanente que a cidade terá e muito me orgulha fazer parte dessa história. Goiânia se moderniza nesta gestão com ações sustentáveis e privilegiando outros modais, como o transporte coletivo e a bicicleta, e não contemplando somente os veículos particulares. É um carro a menos, é um novo paradigma. Estamos avançando e o condutor precisa aprender a compartilhar a rua, que é pública e foi feita para todos. A ciclorrota colabora com essa conscientização”, ressalta o secretário da SMT, Andrey Azeredo.

Outros estudos estão sendo realizados para a viabilização de novas rotas na cidade. Até 2016, a Prefeitura de Goiânia pretende entregar 140 km de vias cicláveis.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247