Goiânia volta a sofrer com onda de assassinatos

Só nesta quarta-feira da Semana Santa foram cinco assassinatos e cinco tentativas na Capital e Região Metropolitana; novo comandante da Polícia Militar, Sílvio Benedito (à dir), que assumiu na semana passada, tem missão de estancar crise na segurança pública; coronel vai reforçar ações operacionais e remodelar atividade da Rotam para tentar conter criminalidade

Goiânia volta a sofrer com onda de assassinatos
Goiânia volta a sofrer com onda de assassinatos (Foto: Wesley Costa)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247_ O ano de 2013 começa como o mais violento da história da Capital. Só no primeiro bimestre foram 91 assassinatos - um recorde negativo para Goiânia. A onda de violência continua e nesta quarta-feira foram cinco assassinatos e cinco tentativas em Goiânia e Região Metropolitana. 

A maioria dos crime está relacionada ao tráfico de drogas. A Capital hoje sofre com a chamada "epidemia do Crac". A droga, que pode ser adquirida por apenas R$ 2 nas bocas de fumo, se alastrou por Goiânia. E é uma das causa das mortes de dezenas de moradores de rua.

A crise na segurança pública contribuiu para a troca no comando da Polícia Militar na semana passada. O coronel Sílvio Benedito assume com a tarefa de dar um novo fôlego à Polícia Militar e montar estratégias para conter a onda de violência.

Sílvio é conhecido por valorizar o operacional e tem como uma de suas marcas a polícia comunitária. Uma das medidas imediatas do comandante-Geral da PM será também reformular a atuação da Rotam - a divisão da PM especializada em ocorrências de maior vulto.

O comando da Rotam deve ser trocado e o grupo deverá ter presença mais ostensiva nas ruas e avenidas Capital - com ênfase nas abordagens a suspeitos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email