Goiás mantém ritmo chinês de crescimento

Se a segunda principal economia do mundo bateu no 7,6%, o Produto Interno Bruto goiano alcançou 6,6% no primeiro trimestre do ano, oito vezes maior que o resultado nacional, de 0,8%; Estado também apresenta excelentes números na agropecuária (9,7%), emprego (6,87%) e indústria (6,7%)

Goiás mantém ritmo chinês de crescimento
Goiás mantém ritmo chinês de crescimento (Foto: Montagem/247)

Tribuna do Planalto_ O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 7,6% no segundo trimestre de 2012 com relação ao mesmo período do ano passado. Se o Brasil tivesse uma taxa pelo menos próxima disto, num ambiente de asfixia econômica internacional, seria saudado como um novo tigre. Mas Goiás alcançou, ainda no primeiro trimestre, uma taxa quase de proporções chinesas, a maior entre todos os estados da Federação, um índice que surpreendeu o Brasil.

Se a segunda principal economia do mundo bateu no 7,6%, o PIB goiano galgou 6,6% no primeiro trimestre do ano, oito vezes maior que o resultado nacional, de 0,8%. Além do dado positivo, a política de fomento à economia por parte do Governo de Goiás impulsionou o Estado à condição de líder no ranking de geração de empregos no Brasil neste período. Foram criados de janeiro e julho deste ano em Goiás mais de 74 mil novos postos de trabalho.

 O governador Marconi Perillo disse na sexta-feira (3) durante inauguração do Vapt Vupt do Empresário, que o êxito da economia goiana advém de políticas criadas há alguns anos, que garantiram segurança jurídica ao empreendedor que vem de fora, incentivos fiscais e, consequentemente, competitividade dos produtos goianos.

“Graças a essas ações, podemos ostentar este ano, nos seis primeiros meses, o maior índice de geração de empregos do Brasil: 6,87% de crescimento contra 0,8% de todo o País. Em 14 meses, a indústria goiana é a que proporcionalmente mais cresce no país e, no primeiro trimestre, nosso PIB também foi o que mais avançou no País”, afirma o governador. “Goiás está vivendo um momento bom porque fizemos o papel de indutor de investimentos”, completa.

Goiás 6,6%
China 7,6%
Brasil 0,8%

Agropecuária 9,7%

A economia goiana, devido ao seu perfil produtivo diferenciado, apresentou crescimento superior ao da economia brasileira em praticamente todos os primeiros trimestres. Esse crescimento é resultado principalmente do desempenho da agropecuária e da indústria. No período, a agropecuária registrou taxa de 9,7%, devido aos incrementos observados nos cultivos das lavouras temporárias, que avançaram 9,5%. Já no Brasil, a queda de 8,5% na atividade do setor primário puxou o índice do PIB para baixo. A safra de grãos goiana cresceu 10,7% este ano. Esse resultado posiciona Goiás como o quarto maior produtor nacional.

De acordo com dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) do IBGE, houve crescimento de 18,8% na indústria goiana no primeiro trimestre deste ano. A indústria de transformação teve taxa de 20,1%, com ênfase na expansão de 84,7% na fabricação dos produtos químicos, influenciada pelos medicamentos. O volume de vendas do comércio varejista goiano cresceu 8,1% no primeiro trimestre do ano, sobre igual período de 2011. O bom resultado do comércio varejista no Estado pode ser atribuído à melhora da renda do trabalhador em termos reais.

Emprego 6,87%

Goiás liderou o ranking na geração de empregos no Brasil no primeiro semestre de 2012. Houve variação positiva de 6,87% no número de postos de trabalho se comparado ao igual do ano passado. O saldo entre contratações e demissões realizadas entre janeiro e julho deste ano em Goiás é de 74.176 novos postos de trabalho. Este é o quinto melhor resultado entre as unidades da Federação. O Estado só perde para São Paulo (335.980), Minas Gerais (179.074), Paraná (89.121) e Rio de Janeiro (86.498). Os municípios goianos que mais geraram emprego foram Goiânia (1.037), Cristalina (668) e Itumbiara (564).

Indústria 6,7%

Goiás conseguiu se destacar ao atingir crescimento de 6,7% no setor industrial, ficando em segundo lugar no ranking nacional do mês, atrás apenas do Paraná que cresceu 9,8%. Na comparação entre março de 2012 e março de 2011, Goiás obteve a maior alta do país com crescimento de 24,7%, seguido do Paraná.

Embora tenha demonstrado evolução em vários setores, a produção de produtos químicos e farmacêuticos foram os principais responsáveis pelo excelente desempenho da indústria goiana. De acordo com o levantamento do IBGE, Goiás lidera também no acumulado do ano (período de janeiro até o mês de março).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247