Goiás reduziu taxas de homicídios, mostra Ipea

Estado de Goiás reduziu em 5,7% a taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes, segundo melhor desempenho no país, ficando no grupo dos nove estados que alcançaram redução no período de 2013 e 2014; em números absolutos de homicídios, Goiás ficou entre os sete estados que conseguiram reduzir as taxas, registrando queda de 4,5% dos casos; números foram divulgados nesta terça-feira, no Atlas da Violência 2016, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Secretaria de Segurança agora é comandada pelo vice José Eliton e intensificou as ações de combate à violência, com operações de rua e reforço do efetivo

Formatura de 400 Soldados do Servi�o de Interesse Militar Voluntario Estadual e Entrega de Viaturas Fotos Eduardo Ferreira
Formatura de 400 Soldados do Servi�o de Interesse Militar Voluntario Estadual e Entrega de Viaturas Fotos Eduardo Ferreira (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O estado de Goiás reduziu em 5,7% a taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes, segundo melhor desempenho no país, ficando no grupo dos nove estados que alcançaram redução no período de 2013 e 2014. Em números absolutos de homicídios, Goiás ficou entre os sete estados que conseguiram reduzir as taxas, registrando queda de 4,5% dos casos. Os números foram divulgados nesta terça-feira (22), no Atlas da Violência 2016, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), do Ministério do Planejamento e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os dados são ainda preliminares.

O documento, dividido em oito seções, faz análise das evoluções do número de homicídios em todo o país em três períodos distintos, de 2004 a 2014, de 2011 a 2014 e de 2013 a 2014. Em todo o Brasil, o número de homicídios foi de 59.627 em 2014, ano em que a taxa por 100 mil habitantes ficou em 29,1%. É o maior número já registrado ao longo da década e corresponde a 10% de todos os homicídios do mundo, tornando-se o país com o maior número absoluto de homicídios. De acordo com o Ipea, trata-se de uma tragédia que traz sérias implicações na saúde, na dinâmica demográfica e, por conseguinte, no processo e desenvolvimento econômico e social do país.

As análises trazem ainda especificidades em relação a estimativas de taxas de homicídios em 558 microrregiões brasileiras, as mortes produzidas por intervenção legal, homicídios contra jovens, negros e mulheres, a relação dos homicídios com armas de fogo e, ainda, um exercício para dimensionar o número de homicídios que se teria sem o Estatuto do Desarmamento. O Atlas da Violência 2016 é disponibilizado anualmente pelo IPEA a toda a sociedade.

Além da redução da taxa de homicídios por grupo de 100 mil habitantes e também em números absolutos de 2013 para 2014, o estado de Goiás registrou redução de 3% no número de homicídios por faixa etária de 15 a 29 anos, ficando no grupo de nove estados que conseguiram reduzir esse indicador.

Todas as demais unidades da Federação registraram aumento nessa taxa. Em grupo de 100 mil habitantes, a redução na taxa de homicídios na faixa etária de 15 a 29 anos foi de 3,4 %.

Goiás registrou, ainda, redução na taxa de homicídios de homens na mesma faixa etária de 15 a 29 anos em R$ 4,3%, ficando no grupo de oito estados que conseguiram reduzir esse indicador.

A redução foi de 6,2% na taxa de homicídios de negros por 100 mil habitantes, ficando no grupo dos sete estados que conseguiram redução deste indicador.

Na relação entre a taxa de homicídios de negros e não negros, Goiás reduziu em 7,9% a taxa de homicídios, ficando entre os doze estados com redução nesses números.

A taxa de homicídios de mulheres teve um aumento de 5,9%, deixando o estado em 10º lugar em números absolutos e em 11º lugar com a taxa de aumento de 4,5% por grupo de 100 mil habitantes. Só treze estados conseguiram reduzir as taxas de homicídios de mulheres.

Na relação entre homicídios e armas de fogo, o estado de Goiás registrou uma redução de 5,9%, ficando no grupo de cinco estados que conseguiram essa redução em números absolutos.

A taxa por grupo de 100 mil habitantes sofreu uma redução de 2% no estado, que ficou entre os treze que conseguiram reduzir esse indicador. Esse índice se deve, principalmente, à adoção do bônus a policiais civis e militares por apreensão de armas de fogo.

Entre os anos de 2009 e 2014, Goiás apresentou redução de 59,6% no número de mortes por causa indeterminada, ficando no grupo de quatorze estados que conseguiram redução deste indicador. A taxa por grupo de 100 mil habitantes sofreu redução de 63,3%, o que coloca o estado entre os quinze que conseguiram reduzir esse indicador. A redução desses números pode indicar que no mesmo período a Segurança Pública do estado conseguiu identificar um número maior de mortes causadas por homicídios.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247