Governadores vão propor plano de segurança simultâneo para os estados

No Encontro dos Governadores do Brasil, em Rio Branco, no Acre, o governador do Piauí, Wellington Dias, adiantou que será proposto a criação de um plano operacional emergencial e simultâneo em todos os estados; "A violência no Brasil tem uma situação grave reconhecida pelo Governo Federal, e vem atingindo fortemente o cotidiano de cada estado. Nossa preocupação é que tome maiores proporções com a facilidade de entrada de armas e munição através das fronteiras", advertiu, segundo o Piauí Hoje

No Encontro dos Governadores do Brasil, em Rio Branco, no Acre, o governador do Piauí, Wellington Dias, adiantou que será proposto a criação de um plano operacional emergencial e simultâneo em todos os estados; "A violência no Brasil tem uma situação grave reconhecida pelo Governo Federal, e vem atingindo fortemente o cotidiano de cada estado. Nossa preocupação é que tome maiores proporções com a facilidade de entrada de armas e munição através das fronteiras", advertiu, segundo o Piauí Hoje
No Encontro dos Governadores do Brasil, em Rio Branco, no Acre, o governador do Piauí, Wellington Dias, adiantou que será proposto a criação de um plano operacional emergencial e simultâneo em todos os estados; "A violência no Brasil tem uma situação grave reconhecida pelo Governo Federal, e vem atingindo fortemente o cotidiano de cada estado. Nossa preocupação é que tome maiores proporções com a facilidade de entrada de armas e munição através das fronteiras", advertiu, segundo o Piauí Hoje (Foto: Voney Malta)

Piauí Hoje/Paulo Pincel – O governador do Piauí, Wellington Dias, participa nesta sexta-feira (27), do Encontro dos Governadores do Brasil, em Rio Branco (AC), com a presença do presidente da República, Michel Temer; da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia; a procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge; e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado,Eunício Oliveira.

Os governadores vão discutir a gravidade da situação da violência no pais, com o aumento da criminalidade, uma das consequências da fragilidade da segurança nas fronteiras do país, por onde entram as armas e as drogas que abastecem o tráfico.

Wellington Dias adiantou que os governadores vão propor a criação de um plano operacional emergencial e simultâneo em todos os estados. "A violência no Brasil tem uma situação grave reconhecida pelo Governo Federal, e vem atingindo fortemente o cotidiano de cada estado. Nossa preocupação é que tome maiores proporções com a facilidade de entrada de armas e munição através das fronteiras", advertiu o governador do Piauí.

Wellington Dias argumenta que a violência hoje é um problema nacional, estando presente emtodos os estados brasileiros, atingindo do menor município à metrópole, indistintamente."Ou nós tratamos isso como um problema prioritário ou a consequência será muito danosa.Precisamos ter total controle de armas e munições, convidamos também para esse encontro paísesque fazem fronteiras com o Brasil. O objetivo é garantir que todas as autoridades caminhem paraum objetivo único, vencer a criminalidade no Brasil", defendeu Wellington Dias.

Uma Colômbia

Anfitrião do encontro, o governador do Acre, Tião Viana (PT) alertou que o Brasil vive uma situação pior que a Colômbia na década de 1980, quando o país foi dominado pelo narcotráfico. "O tema vaiser um sistema de segurança pública nacional, uma força-tarefa e uma integração para que as polícias falem a mesma linguagem para termos de fato resistência e ação efetivas contra o maior problemas para as futuras gerações", explicou Viana.

 

Piauí Hoje;Paulo Pincel –

O governador do Piauí, Wellington Dias, participa nesta sexta-feira (27), do Encontro dosGovernadores do Brasil, em Rio Branco (AC), com a presença do presidente da República, MichelTemer; da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia; a procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge; e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado,Eunício Oliveira.

Os governadores vão discutir a gravidade da situação da violência no pais, com o aumento dacriminalidade, uma das consequências da fragilidade da segurança nas fronteiras do país, podeentram as armas e as drogas que abastecem o tráfico.

Wellington Dias adiantou que os governadores vão propor a criação de um plano operacionalemergencial e simultâneo em todos os estados. “A violência no Brasil tem uma situação gravereconhecida pelo Governo Federal, e vem atingindo fortemente o cotidiano de cada estado. Nossapreocupação é que tome maiores proporções com a facilidade de entrada de armas e muniçãoatravés das fronteiras”, advertiu o governador do Piauí.

Wellington Dias argumenta que a violência hoje é um problema nacional, estando presente emtodos os estados brasileiros, atingindo do menor município à metrópole, indistintamente.

“Ou nós tratamos isso como um problema prioritário ou a consequência será muito danosa.Precisamos ter total controle de armas e munições, convidamos também para esse encontro paísesque fazem fronteiras com o Brasil. O objetivo é garantir que todas as autoridades caminhem paraum objetivo único, vencer a criminalidade no Brasil”, defendeu Wellington Dias.

Uma Colômbia

Anfitrião do encontro, o governador do Acre, Tião Viana (PT) alertou que o Brasil vive uma situaçãopior que a Colômbia na década de 1980, quando o país foi dominado pelo narcotráfico. "O tema vaiser um sistema de segurança pública nacional, uma força-tarefa e uma integração para que aspolícias falem a mesma linguagem para termos de fato resistência e ação efetivas contra o maiorproblemas para as futuras gerações”, explicou Viana.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247