Governo de Angola oficializa afastamento de brasileiros da Igreja Universal no país

O Diário da República de Angola, órgão oficial do país africano, confirmou a dissolução da diretoria da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e a destituição do bispo brasileiro Honorilton Gonçalves de sua cúpula

Igreja Universal do Reino de Deus em São José do Rio Preto
Igreja Universal do Reino de Deus em São José do Rio Preto (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Diário da República de Angola, órgão oficial do país africano, confirmou a dissolução da diretoria da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e a destituição do bispo brasileiro Honorilton Gonçalves de sua cúpula. Considerada uma entidade de direito angolano, a Igreja Universal local alegou "violação sistemática aos estatutos e direitos dos membros", tais como "a discriminação racial e violação das normas estatutárias" e a "imposição e coação à castração ou vasectomia aos pastores". As informações foram publicadas pela BBC Brasil

Também foi citada a suposta "privação aos pastores e suas respectivas esposas de acesso à formação acadêmica, científica e técnica profissional", a suposta falsificação de atas, "abuso de confiança da direção da Igreja ao passar procurações com plenos poderes a cidadãos brasileiros para exercer atos reservados à assembleia geral" e "abuso de confiança na gestação dos recursos financeiros e patrimoniais", entre outros pontos.

"Acabou para a Universal", disse Mathias Alencastro, pesquisador do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), que acompanha a situação de Angola. "Coloca pedra e cal na estratégia da Iurd de tentar retomar seus templos. E mostra como foi inconsequente e desastrada a tentativa do Itamaraty de resgatar a Iurd. Já estamos vendo a consequência dessa submissão a interesses evangélicos", complementou ele, que é doutor em Ciência Política pela Universidade de Oxford (Inglaterra).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247