Governo decide prorrogar concursos

Durante encontro com membros do Fórum Estadual de Segurança Pública, o governador Renan Filho (PMDB) anunciou que vai prorrogar todos os concursos vigentes, desde que não haja impedimento legal; decisão foi explicada por conta da reivindicação de ampliação dos efetivos das polícias Civil e Militar, cujas nomeações estariam sendo impedidas por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal

Durante encontro com membros do Fórum Estadual de Segurança Pública, o governador Renan Filho (PMDB) anunciou que vai prorrogar todos os concursos vigentes, desde que não haja impedimento legal; decisão foi explicada por conta da reivindicação de ampliação dos efetivos das polícias Civil e Militar, cujas nomeações estariam sendo impedidas por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal
Durante encontro com membros do Fórum Estadual de Segurança Pública, o governador Renan Filho (PMDB) anunciou que vai prorrogar todos os concursos vigentes, desde que não haja impedimento legal; decisão foi explicada por conta da reivindicação de ampliação dos efetivos das polícias Civil e Militar, cujas nomeações estariam sendo impedidas por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal (Foto: Voney Malta)

Telma Elita/agenciaalagoas.al.gov.br - A gestão da segurança pública foi a pauta principal da manhã desta quinta-feira (26) no Palácio República dos Palmares. Por quase duas horas, o governador Renan Filho conversou com membros do Fórum Estadual de Segurança Pública. Em discussão, demandas e propostas de mudança para o modelo de repressão e prevenção a crimes de Alagoas.

Na abertura, o chefe do Executivo mostrou-se aberto ao diálogo. “Estou inteiramente disposto a tratar sobre os assuntos pertinentes ao fórum nesse encontro. Os desafios são gigantes na área, mas têm como ser enfrentados”, destacou.

A ampliação do efetivo das Polícias Civil e Militar foi um dos principais temas debatidos. Estavam presentes representantes das reservas técnicas das duas instituições. Renan Filho conversou sobre o assunto com transparência. “Hoje, não é uma opção minha contratar ou não. Estamos impedidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Pela primeira vez, uma gestão recebeu o limite já ultrapassado”, explicou.

O governador revelou ainda que a contratação, nesse momento, geraria ações de improbidade administrativa e, certamente, a Justiça decidiria pela anulação do feito. No entanto, se comprometeu a prorrogar todos os concursos vigentes desde que não haja impedimento legal.

Aos membros do fórum foram apresentados os números que comprovam a queda dos crimes violentos no Estado, neste trimestre, em comparação aos últimos anos. “Temos uma redução, em Alagoas, de cerca de 30%. Essa diminuição nunca foi vista antes. O máximo alcançado havia sido de 5%”, disse Renan Filho.

Sobre as demandas, o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Estado de Alagoas (Sinpofal), Jorge Venerando de Lima, trouxe uma agenda nacional de reivindicações, com destaque para a extinção do inquérito policial, bem como a criação da carreira única para policiais e bombeiros. Pediu o apoio do chefe do Executivo de Alagoas no Congresso Nacional.

O governador afirmou que se associa à maior parte das pautas hoje defendidas pelas categorias em Brasília. “Enquanto deputado federal, defendi publicamente a PEC 51 [Proposta de Emenda Constitucional nº 51], que trata sobre a carreira única. Não é um caminho fácil, pois requer mudança, mas acredito que seja o melhor”, avaliou.

Renan Filho assegurou que, após os 100 primeiros dias de governo, se reúne novamente com o fórum para tratar sobre a política de segurança pública do Estado. Na oportunidade, serão mostradas as ações de repressão e prevenção.

Adiantou como positiva a inauguração, em breve, dos dois novos presídios, que representam quase mil novas vagas no sistema prisional. Consta também no plano da segurança uma maior integração das Polícias Civil e Militar e ainda a construção de duas Cadeias Regionais, nas cidades de União dos Palmares e Arapiraca.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247